O Bar do Mineiro teresopolitano (ou “o que é isso? chouriço”)

- Papai, o que que é isso? – perguntou a Maria, caprichando no acento que indica estranhamento.

Não havia outra resposta.

- Chouriço – eu disse, sem conseguir conter a gargalhada que saiu espontaneamente.

- Mas o que que é chouriço?

- Ah, é um tipo de linguiça que eu adoro e é difícil de encontrar. Quer provar?

Ele declinou da minha oferta. Não lhe apeteceu o embutido de sangue e temperos, produzido artesanalmente em Além Paraíba, cidade mineira na divisa com o Rio. Estávamos no Bar do Mineiro, não o famoso, em Santa Teresa, mas uma versão serrana, no bairro da Tijuca, em Teresópolis, que por servir tão bom chouriço, e outros acepipes, já entrou para a lista de meus botecos preferidos.

Conheci esse bar num domingo qualquer, levado por um amigo, atrás de uma cerveja qualquer. A ideia era beber duas cervejas, quem sabe três, e ir embora. Acontece que, à certa altura, passou por mim uma travessa de alumínio cheia de chouriços. Comecei ali a perceber que o Bar do Mineiro me daria muitas alegrias. Deixamos o balcão e fomos para a mesa.

- Aqui tem que pagar 10% tá? – informou a garçonete.

- Me dá um chouriço desse aí.

Ela trouxe. Eu espremi limão, derramei um bocado de pimenta, e comi com imenso prazer. Instigado, resolvi experimentar mais coisas. Fui até o balcão do bar, onde uma vitrine aquecida exibia os tais chouriços. Vi ali um irresistível torresmo preparado junto a uma ripinha de costelinha de porco. Pedi. Estava bárbaro: casquinha crocante, carne saborosa, se desmanchando. Roí o osso. Solicitei, ainda, um bom naco de lombinho, adornado com molho rico de tomate. Bom, muito bom. Perguntei ao dono de onde era aquele chouriço, mas ele respondeu que o segredo era a alma do negócio. Mas jornalista que se preza não recebe uma resposta dessas e deixa por isso mesmo. Então, quando fui ao banheiro, aproveitei a passagem pela cozinha para elogiar a qualidade da comida, deixando uma pergunta no ar: “Mas e aquele chouriço, de onde é”. Elas logo responderam: “É bem artesanal, feito lá em Além Paraíba”. Obrigado. Fiquei com o Bar do Mineiro na cabeça.

Até que outro dia a Maria pediu para almoçar. Era uma tarde chuvosa e fria.

- Quero feijão, carninha e arroz.

Pensei: dizem que o PF do Bar do Mineiro é ótimo.

Saímos do clube e fomos direto para lá.

Pedi, então, um Chopp Daserra que, apesar do nome, é uma cerveja, que eu ainda não conhecia, e fui apresentado ali naquele instante. É produzida em Teresópolis também, como a Therezópolis e a St. Gallen, que são ótimas. Achei a Daserra boa. E também pedi o chouriço. Maria, distraída desenhando, não ouviu o pedido. E quando chegou o chouriço, ele se mostrou curiosa.

- O que é isso?

- Chouriço.

Pela primeira vez na vida eu entendi que essa rima, que tanta gente usava (lembra?) existe não apenas por causa da combinação das palavras. A linguiça de sangue causa mesmo alguma estranheza nas pessoas. Pela primeira vez na vida alguém me perguntou “o que é isso?” e eu respondi “chouriço” dizendo a verdade.

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Mas, recapitulando.

Voltei ao Bar do Mineiro, dessa vez preparado, levando a câmera.

Pedi um Chopp Daserra. Boa cerveja.

Uma cerveja, um chouriço e uma pimentinha, para ser mais preciso.

Também pedi, é claro, um torresminho com costela, ou seria uma costelinha com torresmo?

A Maria ficou no PF, que ainda tinha uma tijelinha de feijão. Já sabia que o contra-filé estava macio, só de cortar a carne em pedacinhos.

Além de delicioso, o Bar do Mineiro é baratim. A conta (duas cervejas, um mate, um chouriço, um torresminho e um PF) deu R$ 28, 05. Com 10%, claro, porque comemos na mesa…

+++++++++++++++++++

E, para encerrar, uma amostra do cardápio.

As refeições. Repara só, tem até leitãozinho inteiro… Meus Deus… Quem topa ir até lá dividir um desses? Deve dar para uns oito.

E os petiscos. Pois é, chouriço e torresminho com costela não aparecem. Custam R$ 3, cada um.

E aí, vamos lá comer um chouriço e um leitãozinho?

Ah, sim. O Bar e Restaurante do Mineiro, nome oficial declarado no santinho com calendário, que tem uma imagem de um gatinho com um cachorro num cesto de vime sobre um gramado, fica na Rua Roberto Rosa 419, na Tijuca, em Teresópolis. É no mesmo endereço em que funcionava o Cati-Côco, um boteco que chegou a fazer sucesso, e que tinha noites animadas, e uma boa feijoada. Para maiores esclarecimentos o telefone é (21) 3097-2258.

Índice de posts de cidades no estado do Rio de Janeiro: clique aqui.

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro: clique aqui.

About these ads

8 Respostas to “O Bar do Mineiro teresopolitano (ou “o que é isso? chouriço”)”

  1. Paulo José Says:

    Pô Bruno… vamos dividir um leitãozinho desses! Fecho contigo…
    É só dizer quando…
    Abraços, sempre aqui, Paulo José

  2. Índice de posts de cidades no Rio de Janeiro « Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […] a serra? Os programas mais gostosos de Teresópolis – Casa do Alemão x Pavelka: quem é melhor? – O Bar do Mineiro teresopolitano – Bar do Rangel, pé-sujo de […]

  3. Lu Branquinho Says:

    O bar do Mineiro atualmente é meu preferido..morando há pouco tempo em Teresópolis,fiquei encantada c/ a comida simples,mas muito saborosa.A recepção é calorosa,as garçonetes são simpáticas e o Mineiro sempre dá uma chegada nas mesas,como um bom anfitrião..Tanto à noite,como numa tarde de domingo,é sempre uma boa pedida.Tem gente q faz o happy hour,tem gente q vai fazer uma hora pra curtir mais tarde a night, ou pode ser o programa do dia mesmo..sempre cheio e animado,mistura todo o tipo de pessoas,de todas as classes e idades..tem seu charme…Eu recomendaço!!!

  4. MIRIAM LOPES Says:

    DESCOBRI O BAR DO MINEIRO,POR ACASO.ERA UMA SEXTA ,EU E MEU MARIDO FOMOS INDICADOS POR UM AMIGO A IR A UM RESTAURANTE FAMOSO NA CIDADE.UM FIASCO.E DEPOIS DE RODAR POR ALGUNS MINUTOS,ACABAMOS NOS DEPARANDO COM UM BOTEQUIM,QUE A PRINCIPIO NAO SE DA NADA POR ELE.MAS QUANDO ENTRAMOS SENTIMOS LOGO AQUELE CHEIRINHO DE COMIDA BOA.Q TORRESMO MARAVILHOSO!E CERVEJA GELADA!VALE A PENA CONFERIR!!!!E OTIMO.

  5. Maria Alice Pacheco Miler Says:

    Sempre que podemos eu e o meu marido Willian vamos no Bar do Mineiro, vamos certos do que pediremos: Cervejinha, chouriço, torresmo e é claro a dobradinha a milanesa que é de comer rezando! Se eu fosse vc iria lá para conferir é bom demais!

    • brunoagostini Says:

      Oi, Alice. Tudo certo? Mas como é essa dobradinha? Nunca vi… Preciso provar!!!!! Um abraço

  6. tatiana Says:

    olha gente valeu por falar do bar do mineiro onde eu trabalho meu nome e tatiana adoro servi a todos valeuuuuuuuuuuuuuu

    • Hebert. Says:

      Oi tatiana, tudo bem. Sou cliente do bar e gosto muito. Parabens. Estava precisando falar com a Vanessa ou gabriela ou michele. voce conhece. Se conhecer e puder me ajudar te agradeço. obrigado. aguardo uma resposta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.090 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: