Buenos Aires a pé: San Telmo

Dançarinos de tango em San Telmo, onde Buenos Aires é mais portenha

Dançarinos de tango em San Telmo, onde Buenos Aires é mais portenha

A impressão é  que San Telmo é o local onde Buenos Aires é mais Buenos Aires. Não apenas pelo bairro ser o principal reduto do tango, nem só por ser a zona mais antiga da cidade. A melancolia típica dos vizinhos ali manifesta-se robusta. Mais de 500 antiquários vendem e exibem o passado. Dá saudade, coisa tão argentina. As paredes desgastadas dos casarões, as ruas de pedra com luminárias antigas. Tudo cria uma atmosfera nostálgica e delicada, saborosa. Animada também, pelos muitos artistas de rua que divertem adultos e crianças. Um cenário portenho, em resumo. Que pede uma degustação lenta e atenta, em caminhadas curtas. Sem falar que o bairro reúne a maior concentração de tanguerias da cidade, casas tradicionais como o El Viejo Almacén e o Bar Sur (leia na página 8).

O melhor dia para visitar o bairro é o domingo, quando acontece a famosa e tradicional feira de antigüidades. A dica é chegar cedo, antes do almoço, para percorrer as barracas que vendem toda a sorte de objetos: prataria, lustres de cristal, livros, pôsteres de cinema, placas de rua, móveis europeus, pinturas, porcelanas, esculturas, garrafas farmacêuticas, discos, máquinas fotográficas, gramofones. O burburinho concentra-se na Plaza Dorrego, mas as ruas adjacentes também ficam tomadas de turistas brasileiros que se misturam aos argentinos. Afinal, domingo em San Telmo não é programa só de turistas: os portenhos também batem ponto ali. Em torno da praça há vários bares e restaurantes. O mais tradicional é o Bar Dorrego, com interior antigo. Mas para fazer refeições vale caminhar um pouco, porque ali os preços são mais caros e a qualidade, inferior. Duas boas opções são o 1880 e o La Brigada. O primeiro, na Calle Defensa, serve pratos típicos como o puchero (uma espécie de cozido) a preços sedutores. O segundo, nos Estados Unidos, é uma das mais tradicionais parrilas da cidade, servindo também cortes de javali, cordeiro e búfalo.

Além das barracas de domingo, os centenas de antiquários do bairro movimentam o comércio de ricos objetos pretéritos durante a semana, quando é mais indicado garimpar preciosidades. Antigas relíquias também concentram-se no Pátio dos Ezeiza (ou Galeria la Defensa), com arquitetura em estilo italiano. Há também vendas de carnes, legumes e verduras.

Mas não são apenas antigüidades que atraem os visitantes a San Telmo nos domingos. Pintores e escultores vendem suas obras enquanto produzem novas peças. A mistura colore o bairro.

Duas igrejas também merecem atenção do visitante: a Ortodoxa Russa, um exótico edifício com cinco cúpulas azuis; e a de Nuestra Señora de Belém (a paróquia de San Pedro González Telmo), cuja construção teve início em 1734 e acabou por batizar o bairro.

Para finalizar, San Telmo conta com o bucolismo do Parque Lezama, onde consta que a cidade foi fundada. Além da imensa área verde, é ali que funciona o Museu Histórico Nacional, com acervo sobre o país, desde os tempos pré-coloniais.

 

Onde comer
La Brigada – Estados Unidos, 465. Tel.: 4361-5557.
1880 – Defensa, 1665. Tel.: 4307-2746.

Principais atrações:  Feira de antigüidades que acontece aos domingos, Igreja Ortodoxa Russa, Parque Lezama e Museu Histórico Nacional Pátio dos Ezeiza, casas de tango, e Igreja Nuestra Señora de Belém.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: