Tasca do Chico: turístico, sim, mas imperdível também

O fado vadio da Tasca do Chico, sempre lotada às segundas e quartas

O fado vadio da Tasca do Chico, sempre lotada às segundas e quartas

Algumas coisas são obrigatórias a quem está em Lisboa. Comer os pastéis de Belém, por exemplo. E participar de alguma apresentação de fado vadio. Anteontem estive no Bar Tejo, na verdade a casa de um brasileiro do Acre, no coração da Alfama, um segredinho para poucos que me foi apresentado pela querida Vivian Rangel, que mora está morando em Lisboa. Além de fado, cantamos MPB, reggae e música africana, num espetáculo delicioso de diversidade. Havia japoneses, caboverdianos, brasileiros e portugueses.
Ontem fui a um clássico, que embora seja turístico, é também imperdível, o que é raro, como sabemos. Trata-se da Tasca do Chico, no Bairro Alto, um dos mais tradicionais endereços de fado vadio (fado vadio é uma apresentação quase que espontânea, quando os próprios frequentadores cantam e tocam).
A música rola às segundas e quartas e quem quiser garantir lugar é melhor chegar cedo, porque a casa fica lotada. Assim, só dá para ver da janela, o que não é de todo mal.
E se você quiser saber mais do Bairro Alto, ou ler sobre essas minhas andanças lusitanas, passa lá na Enoteca que está cheio de coisa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: