Um boteco lindo e cheio de graça

O altar do Gracioso, ao lado da Pedra do Sal

O chegada ao Rio do Comida di Buteco tem me conduzido a muitos. Na grande maioria já havia estado. De todos os outros já ouvira falar. Mas havia, ali entre os 31 botequins participantes do concurso, um que eu não conhecia: o Gracioso, na Gamboa.
Foi uma das coisas que me fez mais feliz nos últimos 30 dias.
Quando comecei a ler coisas sobre o festival, logo me chamou a atenção o Gracioso. Mas o que é isso? No Centro? Boteco? E eu não conheço!!!
Bem que o Juarez Becosa já me alertara sobre a existência desta pérola. Mas eu achei que ele falava do 28, também na Gamboa.
Pois bem: forçado pela missão de visitar botecos do campeonato, fui até o Gracioso sem lá muita expectativa. Até porque, nem toda a lista do Comida di Buteco está à altura do que se pretende ser o concurso. Caldinho de feijão e outras escolhas afins não repetiram no Rio a característica principal deste evento mineiro: o boteco cria pratos especialmente para o Comida di Buteco. Vá lá, tudo bem: como estamos no primeiro ano de vida carioca da coisa, pode ser conveniente os bares apresentarem a sua grande especialidade, o clássico de sempre. No caso do Jobi, com seu insosso caldinho de feijão (ele pode ser ótimo para o meio da madrugada, mas não para concorrer em qualquer competição gastronômica), me pareceu despropositada a escolha. Mas falando do Gracioso, faz todo o sentido ser o rissoles de camarão. Acho que foi o melhor que já comi. Massa fina e delicada, e também saborosa, recheada com um creme de camarões. Mas não é um creme de camarões qualquer. Nele há camarões de tamanho bem razoável, entre os maiores que já vi dentro de um salgadinho, seja empada, pastel ou rissoles. Até porque, em tamanho, o rissoles do Gracioso é dos maiores também.
Regando isso com umas gotas da ótima pimenta da casa e associando tudo à cerveja estupidamente gelada. Pronto: estamos no paraíso.
Pior é que a visita relâmpago serviu não só para me apresentar ao Gracioso. Mas, principalmente, para colocar este endereço na minha lista de preferidos. Porque, veja só, o Gracioso está a poucos passos da Pedra do Sal, onde se pode dizer que o samba nasceu – se é possível dizer isso em qualquer parte, é ali. Os Escravos da Mauá, um dos meus blocos favoritos, ensaia e desfila a uma quadra dali. E, além dos tais rissoles, eles servem pratos que me pareceram interessantíssimos. E nem vou falar do ambiente, com geladeiras embutidas de fórmica azul-clara, toalhas azul-escuras, paredes de azulejo, ventiladores de ferro… Nem que ele funciona num sobradinho charmoso, com direito a varandinha e uma certa aparência lusitana. Nem do São Jorge, ladeado por uma Nossa Senhora, ao lado daquela luzinha vermelha típica. Ah, sim, e tem isso também: a cerveja vem geladona.
Se eu te contar que é tudo muito barato, você acredita? O rissoles tamanho-família custa só R$ 2. E o cordeiro com páprica custa só R$ 27. Já o polvo com arroz de brócolis sai a R$ 29. E, é claro, os pratos servem bem a duas pessoas.
E eu que não conhecia o Gracioso…

Publicado em 28/8/2008

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

6 Respostas to “Um boteco lindo e cheio de graça”

  1. Pedra do Sal, marco do samba « Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […] Por Bruno Agostini « Sábado em Benfica: um pouco de Portugal no Rio de Janeiro Um boteco lindo e cheio de graça […]

  2. Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro « Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […] Gracioso […]

  3. Guilherme Biazzi Says:

    Bruno,
    Primeiro, gostaria muito de agradecer o seu post sobre os hotéis, muito obrigado mesmo, foi muito útil e fico muito grato.
    Segundo, estou pensando em passar o Carnaval com a minha namorada, no Rio de Janeiro, mas longe do agito do Carnaval.
    Estamos pensando, entre Búzios, Angra ou alguma outra cidade mais romântica e fora do trecho Carnaval.
    Poderia me ajudar ?!
    Grato,
    Guilherme.

  4. Sambotafogo: valeu, Juarez Becoza! « Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […] lendo, eu seguia as dicas dele, revelando botecos obscuros para mim, como o 28 (ou Pastoria) e o Gracioso, ignorados até estamparem as páginas do Rio Show. (O Gracioso é o bar da foto, que serve os […]

  5. Um fim de semana sambista no Rio de Janeiro « Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […] Mas se quiser evitar a praia, ou se o tempo não estiver bom, vá para o Centro. Comece tateando o território. Vá circulando ali pela Pedra do Sal, onde o samba nasceu (sim, foi lá mesmo). Se quiser, entre no bar Gracioso e coma um rissoles de camarão, um os melhores salgados do Rio (leia mais sobre este bar aqui). […]

  6. Carla Cristiane Says:

    Eu sou meia suspeita pra falar, pois moro lá perto, mais na minha modesta opinião o Gracioso tem o melhor risole de camarão e serve tambem um almoço maravilhoso, quem tiver oportunidade de conhecer não vai se arrepender.
    Saudações rubro negra.
    Kakaia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: