Notícias de São Paulo, e o sensacional almoço de domingo no Due Cuochi

 

O salão do Due Cuochi: italiano da moda busca endereço no Rio, assim como o japa Kinoshita

Primeiro, o lead, notícias fresquinhas que ainda não li em qualquer parte: além de Alex Atala, mais duas grifes gastronômicas andam procurando endereço no Rio, para a nossa alegria: o Kinoshita e o Due Cuochi – que são, no momento, os dois restaurantes mais falados e adorados de São Paulo. Que venham logo.

Quem me conhece sabe que adoro provocar paulista. E quem me conhece também sabe que amo São Paulo. Na verdade, só gosto de implicar porque sou apaixonado pela cidade. Se não fosse, ignorava.

Nunca mais pretendo trocar o Rio por São Paulo, como já fiz uma vez, mas faço questão de estar sempre por lá. Estar por lá significa rever alguns amigos e ir a muitos restaurantes. Basicamente isso.

Passei o último fim de semana ali naquela zona entre Congonhas, os Jardins e o Itaim. Conheci três novos restaurantes, o Marakuthai (sensacional), o Innominato Osteria (bom) e o Due Cuochi (um fenômeno), e um bar, o At Nine (ótimos drinques). E ainda voltei a me sentar no balcão do Kinoshita para mais uma refeição gloriosa harmonizada com nada mais nada menos que umas taças de Krug (que coisa incrível, meu Deus). De lambuja, passei na Le Fournil para comer uma deliciosa mil folhas – que já chegou a ser eleita a melhor da América do Sul.

Pelo que ouvia falar e pelo que lia, tinha altas expectativas em relação ao Due Cuochi, no Itaim, o restaurante do momento em São Paulo, minha despedida da cidade no almoço de ontem. Reservei na noite de sábado, e vi que se não tivesse feito isso, ia encarar uma fila enorme (a foto, que mostra o salão vazio, foi feita ao meio-dia e vinte minutos, sem revelar toda a realidade da casa: à minha esquerda, uma espécie de varanda estava lotada, já a essa hora. Quando saí, às 14h30, havia uma filona na porta). Ao meu lado, Raí com a mulher e a filha se fartavam com os pratos da casa. Ao redor, famílias paulistanas, e alguns rostos conhecidos cujos nomes ignoro.

(Aliás, vale um parêntese: com três unidades em São Paulo o restaurante é mais um a querer cruzar a Dutra: os donos estão procurando endereço para abrir uma filial no Rio de Janeiro)

O couvert do Due Cuochi: simples, adequado e, o mais importante, um ótimo começo

O couvert é ótimo, e muito afinado com o espírito cantineiro da casa (cantineiro de luxo). Tem uma cestinha de pães onde brilha o de lingüiça, levemente apimentado, uma delícia. E ainda tem as focaccias do dia: no meu dia, ontem, havia uma de abobrinha, com finas fatias do legume, sensacionais, e outra de algum queijo. Além dela, a cestinha de pães, o garçom traz à mesa um pratinho com bruschetas de tomate delicadas, servidas sobre torradinhas finas. Completam a seleção de antipasti quatro potinhos, um com queijo parmesão, outro com uma sensacional sardella, outro com tapenade de azeitonas pretas e mais um com azeite e manjericão.

Nhoque de semolina ao molho cremoso de gorgonzola: espetáculo

Para a entrada fui no nhoque de semolina ao molho cremoso de gorgonzola. Era algo bem diferente do que esperava: cinco altas rodelas com uma massa delicada e deliciosa, que na consistência me lembrou uma boa pamonha. Antes de vir à mesa a travessa passou algum tempo no forno, gratinando um queijo, chegando com uma casca douradinha (mas é preciso dizer: o nhoque o Vecchio Torino, ainda em São Paulo, continua sendo, de longe, imbatível).

Quando mostrei ao maitre minha dúvida entre a codorna recheada com cogumelos e o coelho assado na brasa com espaguete na sálvia, ele não teve dúvidas:

– Vai no coelho, é muito melhor, tem carne, ao contrário da codorna, é um clássico da casa.

Realmente o coelho é um espetáculo.

Coelho assado na lenha com tagliateli na manteiga e sálvia: ai ai ai ai

A carne alcança uma textura daquelas raras, de se dispensar uso de facas, soltando do osso, saindo em lascas, mas mantendo firmeza e absoluta suculência. Porém, o melhor de tudo é o molho, que concentra todos os sabores do tempero que foi ao forno marinando a carne e de um ragu clássico: cenoura, louro, tomate, ervas e coisas mais que somos incapazes de identificar, mas adoramos. Tem o defumado da lenha e outros mistérios. É algo indescritível. E a massa caseira, delicada, al dente, perfeita.

O prato é tão bom que ainda ostenta requintes de ironia: sobre a massa, ao lado do coelho, repousa uma pequena cenoura, que é linda, saborosa e, ainda por cima, uma provocação metafísica. É tempero, é ingrediente, mas é mais que isso. É o alimento da comida que me alimenta, é meu alimento duas vezes: como a cenoura em forma de cenoura, como a cenoura em forma de coelho. Sinto sabores, lembro de desenhos animados, lembro de canteiros, lembro de feiras e mercados, de metáforas. O prato é mais que um prato. É um baú de reminiscências, um balaio de sabores, uma porcelana nobre. É um prazer.

Anúncios

4 Respostas to “Notícias de São Paulo, e o sensacional almoço de domingo no Due Cuochi”

  1. Léo Says:

    já adianto o endereço, vai ser na dias ferreira ou no jardim botânico…parece que são os dois únicos lugares onde se instalam restaurantes “da moda” no rio…rsrsrsrrsrs

  2. Mari Ceratti Says:

    Você viu que ao lado do Due Cochi tem a sorveteria do Laurent Suaudeau? É um espetáculo também…

  3. Restaurante Due Cuochi, em São Paulo: coelho espetacular - Boa Vida - viajeaqui.com.br Says:

    […] O restaurante Due Cuochi, por Bruno Agostini […]

  4. restaurante são paulo Says:

    Oi, seu post é muito bom, porque seu post está dando informações agradável. Então estou muito contente, porque você deu esta informação. Assim, muito grato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: