O insólito hotel Insólito, em Búzios (e um fim de semana perfeito na Região dos Lagos)

Piscina na varanda da suíte Orfeu da Conceição: encha e seja feliz

Na suíte Orfeu da Conceição, a melhor entre as 12 do exclusivíssimo Insólito Boutique Hotel, em Búzios, a vida é sempre um espetáculo. Debruçada sobre a enseada da Praia da Ferradura, a varanda enorme tem uma hidromassagem de ladrilhos azuis e duas espreguiçadeiras com colchões confortáveis. Ambiente sob medida para um casal não querer nunca mais sair dali – até porque a vista, principalmente ao cair da tarde, com o sol morrendo ao fundo e os barquinhos coloridos balançando na água, é totalmente inspiradora. Para que este panorama raro possa ser apreciado a qualquer instante, no sofá ou na cama, a sala e o quarto têm paredes inteiras de vidro, do chão ao teto. Em cima da mesa repousam bem arrumados alguns livros de arte sobre a cultura popular brasileira, o tema da decoração, porque as suítes são todas diferentes: tem uma dedicada ao candomblé, outra à fotografia e literatura, uma outra à arte naïf e até uma inspirada nas borboletas.

Espumante para brindar a chegada

Nas áreas comuns, nada é comum – só o uso coletivo por todos os hóspedes. Insólito é mesmo um ótimo nome: o hotel, de fato, segue a definição do Aurélio: “Contrário ao costume, às regras, inabitual, incomum”. Algumas convenções na arte de receber são seguidas, sim: o casal brinda a chegada com uma taça de espumante, ainda bem. Mas fazemos o check-in ao sabor das borbulhas, praxe nos hotéis de classe, sentados à mesa da recepção, não de pé diante de um balcão impessoal. A cama é king size, e o enxoval, de muitos fios. É preciso que seja assim.  Mas os funcionários usam roupas despojadas.

E champanhe para acompanhar o dueto de ceviches do chef do hotel

Logo depois de se registrar os hóspedes são convidados a conhecer o hotel. O Insólito foi projetado em platôs que vão descendo as encostas do canto esquerdo da Praia da Ferradura, uma enseada de águas calmas. Primeiro, no alto, a recepção e o restaurante, comandado pelo chef argentino Sebastián Carci, com passagens pelo Sofitel de Buenos Aires e pela La Brasserie, do chef Erick Jacquin. No salão decorado com um belo painel de Iemanjá ele serve receitas com ênfase nos peixes e frutos do mar, como lagosta grelhada sobre carpaccio de manga com folhas e vinagrete oriental, camarão flambado com champanhe, acompanhado de risoto de castanha de caju ou o peixe com banana e palmito servido com molho de castanha de caju e uvas frescas. Prefira as mesas da varanda, com vista e brisa.

A piscina e o mar de Búzios

Descemos as escadinhas que levam à piscina e logo chegamos ao deque com pufes, almofadas e espreguiçadeiras brancas – que à noite ganha tochas e iluminação romântica.

Que vida dura é essa dos hóspedes do Insólito, não é?

 Mas o melhor está ao fundo. Esparramada à frente, a vista buziana em 180°, que pode ser apreciada nos bancos de almofadas macias que circundam toda a borda do pátio em madeira, localização estratégica do bar. Uma coisa.

A vista é aquela clássica de Búzios: o mar e os barquinhos a balançar nele

Mais alguns degraus abaixo e encontramos as saunas seca e a vapor, a grande hidromassagem e duas pequenas tendas para os hóspedes descansarem. De novo, o visual é uma festa. Dali temos dois caminhos a seguir: à esquerda baixamos até a piscina de água salgada, com seis metros de profundidade, usada para treinamento de mergulho, num deque próximo ao mar. À direita, depois de passar pela casa dos donos, quando entendemos porque apesar do serviço profissional e da estrutura invejável, conseguimos nos sentir visitando um amigo (muito rico, claro), um caminho leva até as areias da Ferradura. Ali funciona o Beach Lounge Insólito, sucesso no verão que passou. A área aberta a não-hóspedes tem DJ, tendas, sofás, espreguiçadeiras, pufes, lenços, espaço para massagem e um bar de onde saem coquetéis e pratos leves, como a verrine de berinjela agridoce com queijo de cabra e caviar.

Segundo a Wallpaper, o Insólito seria uma das 40 boas razões para se visitar o Brasil. Ele bem poderia estar encarapitado nas escarpas da Riviera Francesa – até porque o francês é quase a língua oficial ali. Mas Emmanuelle Meeus de Clermont–Tonnerre preferiu a praia mais badalada do Brasil, lançada ao estrelato internacional pela sua compatriota Brigitte Bardot, para construir um dos mais exclusivos hotéis do país. Sinceramente, eu não sairia de lá para nada. Mas, caso queira aproveitar o melhor da Região dos Lagos, o seu fim de semana poderia ser mais ou menos assim.

Na sexta pela manhã toque para Arraial do Cabo, um dos melhores pontos de mergulho do país. Duas razões se somam para isso: a água clara que dá uma grande visibilidade e a chamada Ressurgência, que acontece exatamente ali (são as correntes geladas que vêm da Antártida em grandes profundidades e em Arraial do Cabo encontram o continente e sobem para a superfície). Esse fenômeno raro traz águas geladas (daí o nome Cabo Frio) cheias de nutrientes, o que atrai uma rica fauna marinha para aqueles mares.

Depois do mergulho, tente combinar com o barqueiro uma parada nas Prainhas de Arraial, acessíveis só por trilha ou barco e não só por isso as melhores areias do lugar: a água tem uma transparência incrível. Antes de voltar a Búzios, uma subida ao Pontal do Atalaia revela o pôr-do-sol mais lindo da Região dos Lagos.

Suíte da Villa: a maior e mais espetacular do hotel Marina Villa Rasa

A esta hora a fome já deve estar batendo. O hotel Vila Rasa Marina, que divide com o Insólito a condição de “melhor de Búzios”, está no caminho para a península. O restaurante Briza tem isso mesmo que o nome promete, com mesas ao ar livre de onde se escuta o barulho do mar. Recentemente o chef Danio Braga, um dos mais estrelados do Brasil, assumiu a consultoria do hotel, e está reformulando o cardápio, voltado para peixes e frutos do mar, que agora vão ganhar um acento um pouco mais italiano.

No sábado, não há em Búzios maneira mais agradável para se começar o dia do que na praia Azeda, de manhã ainda vazia. Ali pela hora do almoço, quando começar a encher, melhor ir embora. A faixa de areia é pequena, um povo sem educação ficando jogando frescobol e tem até cachorro…

Melhor sair e relaxar. Um dos melhores lugares para isso é no Morro do Humaitá, com a mais nobre vista de Búzios, sobre a Orla Bardot e a Praia da Armação. Quando Búzios despontou para o turismo, lá pelos anos 1960, era lá que se instalavam os melhores hotéis. A posada Casas Brancas é um desses endereços que resistiram ao tempo. Com classe. Inaugurado em 1974 tem não apenas o melhor spa da cidade, mas também as massagens e tratamentos feitos com a vista mais nobre. Vale a pena gastar uma tarde por lá.

Quem viajar a partir de setembro pode encerrar o dia no Quintal do Nelsinho, melhor restaurante de Búzios, que funciona na casa do próprio num clima de informalidade, mas a cozinha é coisa séria. O chef, como faz habitualmente, fechou o restaurante para viajar, desta vez para a Índia. Em setembro ele volta, com novas receitas e as clássicas, como o bacalhau com nhoque.

No domingo, para novamente fugir da multidão, o recanto mais sossegado de Búzios, pelo menos por enquanto, é a praia de José Gonçalves, no caminho para Cabo Frio. Porque, além de distante, tem acesso difícil, por estrada de terra. Com a vegetação nativa preservada, é uma pequena faixa de areia, que nem assim fica cheia.

Para outro fim de tarde antológico, a varanda do restaurante Satyricon é estratégica. No inverno, o sol de põe no mar defronte. Acomode-se na primeira fileira de mesas e peça o gran piatto di mare, uma bandeja com pequenas porções de frutos do mar, sempre frescos, que variam de acordo com o que os pescadores trouxeram: tem peixe cru ao limão, ovas de ouriço, mexilhões ao vinho, camarões cozidos, tartar de atum, vieiras na sua casca e outras leves e deliciosas coisas assim.

Na segunda você vai embora entendendo porque Búzios é um dos destinos preferidos de todo mundo.

P.S. – Quando eu voltar ao Brasil (depois da viagem à República Tcheca, que você pode acompnhar aqui ou aqui) vou completar o post com mais umas fotos de Cabo Frio e Arraial do Cabo, e do Hotel Villa Rasa Marina.

Esta reportagem foi escrita para a edição de julho da revista TAM nas Nuvens.


Índice de posts de cidades no estado do Rio de Janeiro: clique aqui.

2 Respostas to “O insólito hotel Insólito, em Búzios (e um fim de semana perfeito na Região dos Lagos)”

  1. Índice de posts de cidades no Rio de Janeiro « Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […] – Búzios: fim de semana gastronômico  – Insólito hotel (e um fim de semana perfeito na Região dos Lagos) […]

  2. Sergio Augusto Says:

    Conheçam o Costa do Sol Boutique Hotel, fica em búzios e acabaram de ganhar como MELHOR DO BRASIL!!!!!! Fiquei hospedado lá e adorei!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: