Na Osteria dell’Angolo, o macarrão do Chico

Penne com camarões e abobrinha em um molho cremeso com açafrão: delícia

À exceção do time que escolheu para torcer, o Fluminense, o Chico é um cara que sabe das coisas. (Que Chico? O Buarque, ora bolas.)
Come quieto. Anda no calçadão. Tem casa no alto do Jardim Botânico e apartamento em Paris. Morou em Roma quando exilado. Gosta de ler e escrever. Curte jogar uma pelada. É do samba. Compõe para mulheres e crianças. E, além disso tudo, gosta de freqüentar bons restaurantes. Ele tem uma queda especial pelas casas italianas (morou em Roma, lembra?). No Rio, é visto com regularidade em alguns dos melhores endereços da especialidade: Quadrifoglio, Capricciosa, Margutta, Osteria dell’Angolo. Neste último, em Ipanema, pede sempre uma massa com camarões, abobrinha e açafrão.
E eu, que não sou bobo nem nada, quando fui almoçar lá pedi o prato do chef. Quer dizer, do Chico. É bom mesmo. Massa de grão duro, cozida no tempo certo (no caso, um penne, mas pode ser farfalle, espaguete, talharim. Você decide). O molho usa aqueles camarões médios que são uma faca de dois gumes. Se cozidos além do tempo, ficam duros e o sabor delicado se acentua horrivelmente (sabe aquele camarão que você provou no bufê e não gostou? É isso aí. Também, queria o quê: o bicho fica lá, horas e horas, cozinhando no réchaud…). Em compensação, se ficar o tempo certo no fogo (nunca mais de cinco minutos, dizem os sabidos) é, para mim, o camarão mais saboroso de todos. Para mim, não há VG, pitu, lagostim ou assemelhados que superem aqueles camarõezinho médios em termos de sabor e textura. Mas só quando preparados no tempo certo. Como foram nas duas vezes em que comi o prato.
O molho preferido do Chico leva ainda abobrinhas quase cruas, que dão alguma crocância à coisa. E o açafrão perfuma e colore o prato. Uma pitadinha de salsinha picada e está pronta a receita. Regar com azeite extra-virgem é altamente recomendável. E o queijo parmesão deve ser usado com absoluta moderação para não se sobrepor à delicadeza do conjunto.  
O Chico sabe das coisas.
Ah, quase me esqueço de dizer: o cara também adora o couvert da casa, que varia de acordo com os ingredientes, como deveria ser qualquer cozinha que se preze. Eu também adoro: no minha última visita tinha vinagrete de frutos do mar fresquinhos, abobrinha e berinjela grelhadas, brócolis no azeite com palmito, azeitonas pretas incríveis… E pães, muitos pães, para passar no azeite que resta na travessa. Aí você entende porque vez ou outra a Osteria dell’Angolo papa o título de melhor couvert da cidade. Não dispense a seleção de antipasti sob nenhuma hipótese.
Também não falei que o ambiente é muito gostoso, com a luz natural invadindo o salão pelos janelões de canteiros bem cuidados. Nem disse que o Chico também curte o risoto de endívias preparado ali, escoltado regularmente por um potente Dolcetto D’Alba.
E tampouco disse que o restaurante também prepara outras receitas do norte da Itália com estrema competência. Tem risoto de camarão com aspargos, pernil de vitela com polenta, fusilli com mascarpone e tomate seco… E os peixes e frutos do mar estão sempre frescos, pode pedir sem medo. É famoso (e cheiroso, e bonito) o espaguete com frutos do mar.
A carta de vinhos tem preço justo. Pensando bem, o cardápio todo tem preços justos.
E perdão por não ter avisado antes: o restaurante tem uma filial no Centro, na rua Teófilo Otoni, 63.
Mas, diante do prato preferido do Chico, que importância há em todo o resto?
Fecho a historinha de hoje com uma dica: se quiser viver um momento ainda mais buarquiano, saiba que ele se senta sempre no mesmo cantinho do segundo andar, sempre mais vazio. É só pedir que o garçom te acompanha à mesa do Chico. Isso se o próprio não estiver por lá bebendo o seu vinho e comendo o seu prato preferido.

Publicado em 2008.

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

4 Respostas to “Na Osteria dell’Angolo, o macarrão do Chico”

  1. Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro « Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […] Osteria Dell’Angolo […]

  2. Daniel Tri Says:

    Você acha que um cara como o Chico seria urubu?

    Flamengo = Gabriel O pensador, Neguinho da Beija-Flor etc

    Fluminense = Chico, Tom Jobim, Cartola etc

    Precisa dizer mais?

  3. Carlos Fernandez Says:

    Como diria Millor Fernandez, Chico é um tricolor saudável .
    Dentre suas melhores escolhas, estão o Fluzão as músicas compostas e sua preferencia pela Osteria , todas no mesmo nível de excelencia . Tristes são os que não compartilham dessas escolhas .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: