Um dia na Locanda della Mimosa

A linda e bem nutrida adega, lugar mais importante da propriedade

Já faz mais de um ano que se fala no fechamento da Locanda della Mimosa, restaurante-pousada de Danio Braga, no Vale Florido, em Petrópolis.
De fato a propriedade está à venda, ao que se sabe. Mas enquanto isso, Danio Braga (que hoje também cuida dos hotéis Marina em Petrópolis e Búzios) continua dando expediente ali todos os fins de semana. Isso significa que uma estadia na Locanda della Mimosa continua sendo uma das melhores experiências gastronômicas do Brasil. Melhor ainda nesta época, com restinho do frio de inverno.

– Isso aqui é um restaurante onde se pode dormir, seguindo um conceito muito difundido na Itália – costuma definir assim a sua casa o Danio Braga.

A sala onde é servido o chá da tarde, das 17h às 18h

Estive na Locanda umas cinco ou seis vezes. Apenas numa dessas vezes me hospedei lá. E foi um programaço, apesar do preço salgado (R$ 1.000, no total, por uma noite, com chá da tarde, jantar, café da manhã e uma garrafa de vinho). Sinceramente, saí certo de que o investimento valeu – e muito – a pena.

A agradável piscina que faz ótima dobradinha com a sauna

Eu sugiro que se faça mais ou menos assim.

O ideal é sair cedo do Rio, antes do meio-dia.

Na teoria o check-in para a pousada de apenas seis quartos é a partir das 16h. Mas é quase certo que você possa chegar antes. Se o quarto ainda não estiver arrumado, que tal gastar o tempo entre a gostosa sauna e a piscina.

Vinho do Porto: ótima companhia para acompanhar os docinhos do chá da tarde

No fim da tarde, ali pelas 17h, é servido o chá da tarde, com bebidas quentes, biscoitinhos e docinhos. Para este momento sugiro que se abra uma boa garrafa de vinho do Porto (eu levei a minha) – que, inclusive, pode ser guardada para o encerramento da noite, quem sabe ao lado de um bom charuto na varanda do restaurante.

Coleção de garrafas de Mouton-Rothschild na rica adega: tente visitar

Já que você está hospedado na pousada, pode deixar para descer para o jantar bem tarde. Antes disso, cairia muito bem uma meia garrafinha de champanhe (também levado de casa, naturalmente).

Uma das refeições está incluída no preço da diária (R$ 710), assim como águas e refrigerantes, além de café (Nespresso) e chás. Pela comodidade, para quem está hospedado ali, melhor jantar na pousada, claro. Aproveite para pedir para o sommelier te levar para uma visita à adega (não é aberta a todos: hóspedes têm mais facilidade em conseguir e dá até, por exemplo, para combinar de se fazer ali um coquetel ou degustação de vinhos). O espaço é um museu, com várias garrafas, apetrechos e quadros em redor do mundo do vinho. E, naturalmente, há uma bela coleção de rótulos.

– É a parte mais importante da Locanda, foi a primeira ser construída, antes de tudo – conta o Danio sobre o seu xodó.

Quem sabe ali mesmo você já não escolhe a sua garrafa

Manteiga e azeite com alecrim para acompanhar o couvert na mesa florida

No jantar há sempre duas opções de menu: um tradicional, de cozinha italiana clássica, e outro, mais voltado à vertente criativa do chef. São cinco pratos, quatro cursos salgados e um doce.

É sob medida para um casal. Cada um pede um menu e divide os pratos. Assim, dá para provar todas as receitas.

O elegante salão onde são servidas as refeições

As massas ali, preparadas artesanamelte, são sempre um porto seguro, assim como as carnes em longos cozimentos e risotos.

Ossobuco de vitelo com risoto: demais

Já comi lá, por exemplo, um ossobuco de vitelo esplendoroso, com direito a garfinho especial para “pescar” o tutano (muito chique isso, nunca tinha visto antes, e eu amo ossobuco, e fico triste quando não consigo tirar a carne).

Parmentier de rabada: simples e delicioso

Também não me esqueço de uma incrível, em toda a sua simplicidade, o parmentier de rabada desfiada, com um cremoso purê de batata e o rico caldo de cozimento, além de uns azeitinhos temperados que faziam a diferença. Genial.

Massa coroada com trufas: todo os anos, entre outubro e novembro, tem

Também me fez enorme bem uma massinha com trufas. Aliás, o Danio todos os anos vai à Itália “caçar” trufas no Piemonte, e organiza, a partir do fim de outubro, e enquanto durarem os estoques, um festival com o raro tubérculo (aliás, este ano eu vou fazer esta viagem com ele, numa incrível jornada enogastronômica, com direito visitas a produtores de presunto, gorgonzola, pamigiano reggiano e Barbaresco, encontro com o presidente da Slow Food, jantar no restaurante Al Sorriso e concerto no Scala de Milão. Obrigado, meu Deus!).

O quarto rosa: bom para momentos de preguiça matinaçl

No dia seguinte resta acordar tarde, tomar o café calmamente, quem sabe com uma tacinha de espumante. Dá para chegar até umas 10h45 tranquilamente para ainda ser bem atendido. Depois disso o restaurante começa a ser arrumado para o almoço.

O check-out acontece até às 15h. Mas é possível dar uma esticadinha.

Depois de uma dessa, é só descer a serra feliz.

Leia mais sobre a Locanda della Mimosa clicando aqui.

P.S. – No fim de semana comecei a dar uma organizada nos arquivos do blog, coisa que pretendo continuar fazendo durante esta semana. Aí, vi que não tinha nada escrito sobre a Locanda. Publiquei, de lambuja, uma notinha que escrevi para uma revista. E aproveitei para dar o meu passo a passo para aproveitar ao máximo a Locanda.

Neste trabalho de passar a limpo todo o histórico do blog notei algumas falhas graves em relação às cidades flumineses: não tem nenhum post sobre Visconde de Mauá, nem de Niterói. Quer contar mais algumas historinhas de Nova Friburgo, que tem só texto. Também achei poucos os posts sobre Búzios e Petrópolis/ Itaipava. Aos poucos vamos preenchendo essas lacunas.

Índice de posts de cidades no estado do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

9 Respostas to “Um dia na Locanda della Mimosa”

  1. Índice de posts de cidades no Rio de Janeiro « Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […] Parador Santarém Marina – Pousadas de Petrópolis: um gostoso almoço dominical na Alcobaça – Pousadas de Petrópolis: um dia na Locanda della Mimosa  (mais Locanda clique aqui) – Parada estratégica a caminho do Vale das Videiras – Fazenda das […]

  2. Q. Says:

    Bruno, como você fez para levar tantos vinhos de casa pra Locanda sem causar, digamos, constrangimentos? Até onde eu saiba, Danio é um pouco avesso até mesmo ao sistema de rolha. Você solicitou os copos adequados para degustar o Porto e champagne? Pagou rolha por eles?

    • brunoagostini Says:

      O Porto eu bebi no chá da tarde, e pedi taças, que me foram dadas. Não paguei rolha. Já o champanhe eu não bebi, mas sugeri. Eu levaria taças de casa, e pediria um balde com gelo. Já fiz isso muitas vezes, em vários hotéis.

  3. Q. Says:

    Obrigado, Bruno. Um forte abraço. Parabéns pelo blog e pelas matérias em O Globo.

  4. Adriana Says:

    Bruno,
    Estou pensando em comemorar minhas bodas no Locanda, mas estou um pouco preocupada pelo fato de o local estar à venda, será que a qualidade continua a mesma? Minha segunda opção seria o Fazenda das Videiras…

    • brunoagostini Says:

      O Danio está sempre por lá. Mas ligue para se certificar. A Fazenda das Videiras também é ´ptima pedida. Um abraço

  5. Hazel Hathaway e Mauro Rodrigues Says:

    O Danio não está mais lá…fato, mas tudo continua como antes e melhorando…comemoramos 5 anos hoje e lá…tudo maravilhoso: Hazel e Mauro.

  6. simone finati Says:

    Simplismente divino!!!!!!!!! Destalhes impecavies…
    enfim um lugar sem igual.

    Simone Finati

  7. Edna Galindo. Says:

    Ahhhhhhhhhh
    Que lugar chic e lindo,my god!
    Se eu ganhar na megasena vou passar um finde lá,com certeza.Helloooooooooooo….rs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: