Bar Lagoa: depois de provar o seu tartar, 70% dos “melhores sabores do Rio” já foram degustados

Outro dia, de brincadeira, fiz aquele teste do Facebook que, na teoria, teria os 100 melhores sabores do Rio. Eu pessoalmente, discordo de muita coisa, como não poderia ser diferente numa lista do gênero (aliás, discordo de muuuuuita coisa). Tive, como diria o presidente Lula, um índice relativamente alto de “provação”: provei 69% de tais pratos, petiscos, belisquetes e afins. Quer dizer, já são 70%. Porque ontem fui conferir o steak tartar do Bar Lagoa. Apesar de frequentar este restaurante tradicional desde a infância, não me lembro de ter pedido a tal receita.
Pois estão não foi outra senão esta a razão que ontem terminei a minha noite lá, na ótima companhia do Raulzito, meu amigo de fé, irmão camarada, que me acompanhou na viagem até o Engenhão para ver o Flamengo empatar com o Vasco.

O chope da casa, que é um tradicional redutor tricolar, porque ninguém é perfeito, continua bom. Mas acho que deu uma caída, e eu não mais o classificaria entre os melhores da cidade. DE qualquer maneira, é servido do jeito que eu mais gosto: no copo schnitt, com colarinho (natural por favor) espesso e líquido bem gelado, com bom índice de gás carbônico.
Eu já estava decidido em pedir o steak tartar. E foi o que fiz. Meu camarada mandou descer um sanduíche de filé com queijo que estava muito bom, pude comprovar com uma bela dentada.

Mas o que queria mesmo era o tal tartar. Logo veio o garçom e derramou um pouco de mostarda escura um prato, e ficou mexendo. Depois ele recebeu de um colega um prato com os ingredientes principais: um monte de filé mignon finamente cortado com uma gema de ovo cru e uns pedaços de anchova por cima, tudo rodeado pelo temperos: cebola, alcaparra…
Recebida a minha aprovação, ele foi em frente. Por cerca de dois minutos ele foi mexendo, alternando movimentos vigorosos com outros sutis, formando uma massa uniforme.

Depois veio me mostrar o resultado.
Estava mesmo muito boa, com tempero correto. Mas uma coisa me aborreceu: eles server o tartar no companhia de torradinhas, muito sem graça, aliás, quando o mundo inteiro sabe que o par perfeito para um bom tartar são batatinhas fritas. Então, engordei em R$ 10 a conta pedindo uma porção. Aí, sim, o negócio ficou sério.
Até o Raulzito, que pelo menos até ontem não comia carne crua, provou, aprovou e repetiu muitas vezes (ainda bem, porque a porção é farta, para dois, ou até quatro, se for servida como entrada. Ainda assim sobrou um pouquinho).

No mais, adoro todo resto do Bar Lagoa, a começar pela varanda deliciosa (experimente pegar uma mesa bem na borda), os pratos alemães, o croquete, o ambiente art-déco lindo, com paredes pintadas em um verde bem claro, com detalhes belíssimos como espelhos, revestimento de mármore, ventiladores vintage, fotos antigas e até um pequeno palco sobre o bar. Também aprecio o receituário clássico do Rio nos anos 70 e 80: haddock com alcaparras, filé à piemontese (ou à francesa, ou á rossini, ou à parmegiana, ou ao molho madeira, ou à milanesa, ou ou ou ou), frango à cubana, o fetuccini à parisiense, o arroz à grega, além de toda a seleção de clássicos da casa, como as salsichas com salada de batata, o kassler (ou eisbein) com chucrute… Para encerrar de maneira histórica, apfelstrudel, mousse de choclate, romeu e julieta, pudeim de leite… etc etc etc.
Essas coisas me comovem.

 

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

11 Respostas to “Bar Lagoa: depois de provar o seu tartar, 70% dos “melhores sabores do Rio” já foram degustados”

  1. Dri Says:

    Também fiquei curiosa com esse tartar… Qto a lista, acho que ela é mais uma questão de ‘clássicos imexiveis”. Pq eu tenho completa convicção de que o pão de queijo da Padaria Ipanema é uma grande bomba, mas o Pedro adora e eu devo concordar que quem mora ali perto o considera folclórico. Bem como o cabrito do Nova Capela, que dizem ter caído demais de qualidade tb.

    Pra mim, todas as comidas do Sindicato da Farme é que deviam estar na lista. Alias, Sindicato é sinonimo de BOM BONITO E BARATO.

  2. brunoagostini Says:

    Estive no Nova Capela há menos de um mês. O cabrito continua imbatível. Faz anos que não vou ao Sindicato, mas já fui muito. Vamos marcar um chope lá um dia desses? Quando você for lá com o Pedro me chame. Beijos

  3. Dri Says:

    Combinadissimo! É final de semana sim, outro também. Além do mais, jogo do mengão assistido lá é 70% vitória garantida… =)

  4. Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro « Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […] Bar Lagoa […]

  5. Léo Says:

    taí uma parada que não como nem amarrado…carne de vaca crua.

  6. Cris Beltrão Says:

    Lista pra mim é que nem escova de dentes: cada um com a sua.

  7. Oscar Daudt Says:

    Gostaria de sugerir que você colocasse o preço dos pratos para a gente poder se orientar…

    Abraços,

    Oscar

  8. Bar Lagoa: um dinossauro da boemia carioca! | Destemperados Says:

    […] mania de perseguição e tal. Mas é normal. Levamos tão na esportiva isso que o Joaquim (ei Bruno Agostini, me confirma se o nome do senhorzinho é Joaquim mesmo, e aproveita pra mandar um abração pra ele […]

  9. Christine Says:

    Buenos dias,

    Estamos publicando un artículo sobre Rio y el Bar Lagoa in una revista.
    Nos gustaría utilizar esta imagen del bar:

    Nos daríais el permiso de utilizarla y sobretodo nos la podríais enviar en alta resolución?

    Muchas gracias,
    atentamente,
    Christine

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: