Bar do Gomez, um certo armazém de Santa Teresa

 

Bacalhau, cebola, azeitonas, azeite, pimenta e chope...

O nome oficial é Armazém San Thiago, mas quase ninguém conhece assim. Quando quiser um boteco autêntico em Santa Teresa o melhor é perguntar pelo Bar do Gomez, para mim o mais divertido, bonito, autêntico e gostoso do bairro montanhês.

Para começar, como deveriam ser todos os bares, fica numa casa de esquina (da famosa rua Áurea com uma outra que ignoro). À direita de quem entra, um grande balcão, de onde saem chopes tirados à perfeição, com colarinho espesso e líquido dourado com bom nível de borbulhas, servido, como manda a regra, em copo tipo schinitt, tal os melhores da cidade, como o alemão Bar Brasil e o português Adonis.

Neste balcão existe uma estufa que mantém aquecidos alguns acepipes que são especialidade da casa, como os bolinhos de bacalhau e de carne, as empadas, os croquetes. Todos bem feitos. Ao menos nos fins de semana, quando a casa fica lotada, não se preocupe com o inevitável ressecamento que este recurso impõe, porque eles são vendidos às dezenas, e não dá tempo de ficarem ruins submetidos aos calor. Mas o fato é que o melhor a se fazer é ficar à espreita e aguardar a bandeja sair da cozinha, para pedir os salgados antes mesmo de entrarem na vitrine aquecida, fresquinhos. Assim é mesmo melhor.

Outra virtude é haver boa pimenta malagueta preparada ali, e azeite, que também temperos adequados a boa parte das receitas. Se há Tabasco, não vi… Isso, como se sabe, soma ainda mais pontos para este lugar na minha estima. Tabasco em boteco é algo grave como chope quente e sem colarinho, ou cerveja choca.

A casa é de origem espanhola, mas tem bem um jeitinho português, sendo mesmo os nacos de bacalhau com cebolas e azeitonas a melhor pedida de petisco.

Mas o que faz do Armazém San…, ops, do Bar do Gomez um lugar especial nem é exatamente a sua boa comida, mas principalmente a ambiência, um belo salão à moda antiga, com mesas de mármore e cadeirinhas de madeira, muitos quadros pela parede (fotos do começo do século passado, recortes de jornal… ) e armários graciosos, daqueles típicos dos secos e molhados de outrora, cenografia original, e muito linda. Seria capaz de ir lá só para apreciar a decoração do lugar. Isso sem falar numa cordialidade gostosa dos atendentes. Tem um clima que não se encontra mais facilmente por aí, sabe¿ Um Rio que vai se perdendo e a gente quer encontrar. E, é claro, o fato de estar em Santa Teresa. O que já não é pouca coisa.

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

6 Respostas to “Bar do Gomez, um certo armazém de Santa Teresa”

  1. Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro « Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […] Bar do Gomez (ou Armazém San Thiago) […]

  2. Paulo Sahd Says:

    Estive neste boteco através do seu post!
    Parabéns por isto, pois você resenhou muito bem o local.
    Só esqueceu de escrever que sobre o dito balcão da entrada existe uma foto de 1923 que mostra o local EXATAMENTE como vemos hoje!!!
    Demais!
    E o tal do bacalhau da foto é inesquecível.
    Abraço.

  3. Matheus Farizatto Says:

    Muuuuito bacana, Bruno.
    Cheguei ao blog por indicação de uma amiga, Roberta Guiraldelli.
    Estarei no Rio em junho, pela primeira vez, e gostaria muito que me indicasse alguns lugares e formas de passeio. Ficarei por conta de ônibus e metrô hehe. Se puder me enviar algo por e-mail, seria ótimo.

    Olharei mais aqui no blog também!
    Abração.

  4. Maria V. Moreira Fagundes Says:

    Nascida e criada em Santa Teresa, na propria rua Aurea 64 em frente a Igreja.Sou do tempo do verdadeiro dono do armazem, sr.Jose Pose Garcia, meus pais o conheceram , eu tambem.As nossas compras eram entregues em casa conheci o seu filho Jesus, o Sr. Manuel, e tambem, o sr. Gomes que eream empregados do armazem. Mais tarde tornou-se o dono do Armazem do Gomes.Quando voltei ao Brasil pela primeira vez fui ao armazem e pedi o meu favorito Um refresco de groselha!. Votei depois de alguns anos e tornei a tomar o meu refresco.Fazem 40 que sai da minha gente, pois moro no U.S.A mais jamais esquecerei do meu armazem!

  5. Silvia Carreira Says:

    Ah, nem falem! Estive num domingo de 2009, sem saber que era o evento ‘Portas Abertas Santa Tereza’, que nem sabia que existia, pois sou de Salvador. O fim do dia no Bar do Gomez foi inesquecível de tão bom, o samba carioca rolou solto.
    Por isso estou aqui nessas letras; depois de tantas idas ao Rio nesses anos, dessa vez quero pisar por lá de novo daqui a alguns dias. A gente sai do lugar com a certeza de que o mundo melhorou, que somos todos irmãos e falamos a mesma língua…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: