Taberna Alpina, em Teresópolis: tudo como antes, o que é uma delícia

Bife tartar da Taberna Alpina: "- Quer que eu misture ou o senhor mesmo faz?"

Terminei 2010 tomado de certa nostalgia gastronômica, visitando alguns restaurantes tradicionais. No penúltimo dia do ano voltei à Taberna Alpina, em Teresópolis. Tirando a ausência da antiga dona, Dona Erna Nathan, de cabelos brancos e pescoço torto, que vivia no balcão perto da entrada (e do Seu Bela Snir, o seu sócio), tudo parece estar exatamente como no início dos anos 1980, quando fui apresentado ao lugar. As toalhas de pano vermelhas (eu achava que eram verdes), as garrafas decorando as paredes, os garçons de paletó branco e gravatinha borboleta, as mesas sempre cheias e uma agradável saletinha com paredes de madeira chamada Escondidinho.
O cardápio, evidentemente, continua imune a alterações. As especialidades alemães são o carro-chefe: salsichas, eisbein, kassler na ilustre companhia de salada de batatas e chucrute. Ou, ainda, um goulash muito bom.

O pato assado, envolto em molho delicioso e encorpado, uma das estrelas do menu da casa, no Centro de Teresópolis

Também é um clássico da casa o pato assado, com molho espesso, que é servido com croquetes e purê de maçã. A língua de boi defumada é deliciosa. Tem até “herrings a la creme”, ou seja, arenque ao molho de creme de leite. Também há lanchinhos à moda antiga, como torradas com manteiga, café com leite, waffles…Sem falar em pratos clássicos do receituário tradicional, como churrasco misto, filé com fritas e por aí vai. É um lugar relativamente barato. Com cerca de R$ 50 um casal almoça e ainda bebe umas cervejinhas.
Mas eu resolvi visitar o restaurante para provar o steak tartar da casa, ali chamado bife tartar mesmo. Ele é servido assim, como na foto, com a carne no meio, coroada com uma gema de ovo, e os temperos ao redor: cebola picada, picles, alcaparras, páprica…
– Quer que eu misture ou o senhor mesmo faz? – perguntou o garçom.
Fiquei curioso a ver a técnica do moço, mas não resisti à possibilidade de ficar ali, briancando de misturar aos pouquinhos, ora com mais cebola, ora carregado na páprica, ora molhando a mistura com molho inglês, ora afogando em mostarda escura.
Ali, refúgio gastronômico de orientação alemã, o prato é servido com um bom pão preto, e não com batatas fritas. É mais saudável, mas confesso que senti falta de umas batatinhas para dar contraste de textura e temperatura. Enfim… Mas o momento foi glorioso, ainda mais na companhia de uma gostosa garrafa de Therezópolis, uma grande cerveja, das melhores do país.
Lembro-me bem. Quando eu era criança, até a adolescência, a taberna Alpina era um dos melhores restaurantes não só de Teresópolis, mas do Rio de Janeiro mesmo. Era um clássico. Continua absolutamente igual. Eu é que mudei. Ainda bem que ainda existem lugares que preservam essa memória, visual, sentimental, gustativa. Ainda bem que não fizeram alguma daquelas reformas horrendas que descaracterizaram tantos bons lugares de nossa estima. Quando eu entro na Taberna Alpina alguma coisa acontece no meu coração. Não sei bem dizer o que é. Sei que é bom.

Índice de posts de cidades no estado do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

2 Respostas to “Taberna Alpina, em Teresópolis: tudo como antes, o que é uma delícia”

  1. Índice de posts de cidades no Rio de Janeiro « Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […]  Teresópolis: – Camponesa da Beira: um lugarzinho pra chamar de seu – Dona Irene: refeição de czar – Que frio: um sábado gostoso na serra – Orquidário Aranda: pra não dizer que não falei de flores – St. Gallen: mais uma cerveja deliciosa feita em Teresópolis – Caldinho de piranha, polvo e pimenta para esquentar – Tempêro com Arte: bom, bonito e barato, um restaurante para todas as horas em Teresópolis (e o favorito da filha) – Taberna Alpina, em Teresópolis: tudo como antes, o que é uma delícia […]

  2. Ivan Bento Says:

    Acho também que as toalhas eram verdes! Tenho as mesmas lembranças, conhecia Taverna Alpina, em 1986, como estudante de medicina, tínhamos um cardápio especial para estudantes, com preço mais acessível, sempre que retorno a Terê, vou a Alpina.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: