Cape Malay, a cozinha típica da cozinha da Cidade do Cabo

 

Curry de carneiro: parece indiano, e é quase, só que menos apimentado e mais perfumado

A cozinha mais tradicional da Cidade do Cabo é a malaia. Não exatamente a culinária tradicional desse país asiático com população majoritariamente muçulmana, mas sim uma adaptação de várias receitas pelos imigrantes. O resultado é a chamada “Cape Malay”, muito difundida na cidade, com epicentro no bairro de casinhas coloridas tradicionalmente habitado pelos malaios e outros muçulmanos. O traço mais forte é a influência indiana, com seus curries e samosas, mas há outras inspirações, além de ingredientes adaptados.

Ontem almoçamos no restaurante Noon Gan, no tal bairro. É um restaurante caseiro, com linda vista para a cidade, com a Table Mountain ao fundo (não pudemos desfrutar tanto dessa beleza, porque o dia estava nublado – mas hoje o tempo abriu, e pudemos fazer o voo de helicóptero programado, uma beleza, mas o que sai da Lagoa, modéstia à parte, é muito mais, e acho pouco provável que possa haver mais belo em todo o mundo).

Ao chegarmos, saudados pelo batalhão de galinhas d’angola que pastavam nos gramados da rua, logo sentimos o delicioso aroma da cozinha “home made”.

Olhando o menu, não há como distinguir essa culinária da indiana, com fortes aspectos muçulmanos, como a proibição do consumo de álcool. Há, como foi dito, samosas e curries, mas o tempero é menos apimentado, bem menos, com maior presença de especiarias, como cardamomo. São pratos perfumados.

Nosso almoço começou com uma entradinha que trazia samosa de carne, um bolinho de espinafre com ervilha e uma espécie de pão, algo meio fritopan – tudo acompanhado por três molhinhos: um de pimenta, nem tão forte assim, um vinagrete de coentro e uma espécie de curry de vegetais. Bom começo. Para beber, chás, sucos (os dois muitos bons, mas não para acompanhar a comida), além de um tipo de milk-shake, feito com o novo famoso sagu (sago, para eles, bolinhas menores que as nossas).

Depois, veio uma sequência com quase tudo do menu: curries de carneiro e de frango e o boebootie, uma espécie de bolo de carne moída, ladeado por vegetais e um arroz amarelo. Para encerrar, pudim de leite, algo que lembra pudim por dentro, mas com uma espécie de massa por fora. Bom.

Hoje, depois de jantarmos no restaurante do hotel Table Bay, acho que o mais famosa da cidade, no Ocean Front, interligado ao shopping que ocupa hoje os antigos armazéns portuários (quando será que o Rio vai, de fato, revitalizar o seu porto¿), ganhei um livro de receitas, o “The Cape Maley Cookbook”, de Faldela Williams.

Na publicação que tem fotos que parecem ter sido feitas nos anos 1970 de tão antiquadas, descobri que essa tal cozinha é muito mais plural do que eu poderia supor.

Tem até paella,   de kingklip (um saboroso peixe local) com camarões, além de sopa de feijão, frango frito com gergelim, dobradinha, língua de cordeiro, além de pratos com grafia holandesa e até uma versão do nosso famoso bolinho de chuva. Enfim, é um carnaval.

Anúncios

Uma resposta to “Cape Malay, a cozinha típica da cozinha da Cidade do Cabo”

  1. Todas as histórias da África do Sul « Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […] sul-africanas: não deixe de prová-las – O Rio de Janeiro e a Cidade do Cabo: (quase) nada a ver – Cape Malay, a cozinha típica da Cidade do Cabo – O kudu e outros sabores sul-africanos – A caminho da África do Sul: apesar de o almoço no […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: