Fim de semana com Paola Carosella em Santa Catarina, as obras no Cipriani e a inauguração da Fogo de Chão no Rio de Janeiro

Lá se vão aí uns cinco anos que tenho vontade, e muita, de conhecer o hotel Ponta dos Ganchos, no município de Governador Celso Ramos, perto de Florianópolis, para onde embarco daqui a pouco. Da mesma maneira, há pelo menos quatro anos desejo imensamente visitar o restaurante Arturito, em São Paulo.

Pois então fiquei bastante feliz quando me convidaram a passar um fim de semana por lá durante a edição de 2011 do Ciclo dos Chefs, quando são chamados alguns dos maiores cozinheiros do país para um fim de semana com programação voltada aos comes e bebes. A Paola Carosella, chef do Arturito, é uma das participantes. Aproveitei, então, para escolher o fim de semana dela. Que é exatamente esse, começando hoje.

E é para lá que eu vou para passar a sexta, o sábado e parte do domingo.

Essas, e ostras, de Santa Catarina, é claro, eu vou contando por aqui.

No mais, os últimos dias reservaram duas notícias importantes. Enfim foi inaugurada a churrascaria Fogo de Chão, muito bem instalada em Botafogo, escancarada para a Baía da Guanabara, uma beleza. E o restaurante Cipriani, do Copacabana Palace, fechou as portas para dois meses de resforma (e, como vai ficar a casa, eu contei lá na Enoteca).

Sobre a Fogo de Chão, estive lá na tarde de segunda-feira, aproveitando a folga. O carioca esperou muitos anos para a chegada da churrascaria. Agora, esperamos para que o as carnes sejam preparadas à perfeição, como em São Paulo.

Cheguei lá às 15h15, e pedi uma mesa pertinho da varandona. Linda a paisagem, valorizada pelas portas de vidro que ocupam toda a “parede” voltada ao mar.

O lugar está lindo, e o serviço, até muito invasivo e cordial demais para o meu gosto. Mas tudo bem. O problema não é esse.

Comi cortes que estavam ótimos. Outros, nem tanto. Isso é até aceitável, mesmo numa churrascaria de alto padrão. O que não dá para engolir, literalmente, foram os pedaços servidos no fim do meu almoço, já no apagar das luzes do turno da tarde (teoricamente, de segunda a sexta a casa funciona do meio-dia às 16h). O filé mignon, a costela e o cupim estavam incomíveis. As costeletas de cordeiro, ora vinham tenras e saborosas, ora gordurentas e passadas demais. Menos mal que, num rodízio desses, tudo o que vem ruim para o nosso prato volta. Devolvi uns quatro pratos quase intactos para a cozinha.

Apesar disso, gostei da visita. Acho que tudo isso vai melhorar, talvez a partir do momento em que eles entenderem que carioca gosta de restaurante aberto do almoço ao jantar, sem intervalo. Pausa das 16h às 19h não é recomendável por aqui, ainda mais para restaurantes desse gênero. Fica dada a dica.

Também ainda está sendo preparado o tal fogo de chão, que batiza e é a marca registrada do grupo, enfeitando a porta de todas as casas.

Então, como dizia, apesar dos deslizes, mais recorrentes no fim do almoço, foi uma bela refeição. Primeiro porque consegui pegar uns bons espetos, especialmente com o tal do shoulder steak (na foto), um corte da parte dianteira do boi, algo bastante raro. Também curti pedaços de bife ancho e picanha, além de um ótimo corte de maminha com alcatra, coisa dos churrascos de antigamente.

Também merecem aplausos os acompanhamentos dispostos no bufê: aspargos, queijo grana padano, bom presunto cru, carpaccio (de carne e de um tipo de abóbora, que adorei), fundo de alcachofra, cogumelos refogamos, palmito fresco em sua casca, burrata da boa, legumes grelados, saladinhas frescas e variadas, azeites, muitos azeites, de primeira…

Também provei dois dos vinhos com rótulo da casa. Gostei mais, bem mais, do Cabernet Sauvignon chileno do que do Malbec argentino.

Não pedi sobremesa. Continha salgada, mais de R$ 200.

 E agora você me pergunta: Mas e o que tem a ver um fim de semana com Paola Carosella em Santa Catarina, as obras no Cipriani e a inauguração da Fogo de Chão no Rio de Janeiro?
Nada.

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

3 Respostas to “Fim de semana com Paola Carosella em Santa Catarina, as obras no Cipriani e a inauguração da Fogo de Chão no Rio de Janeiro”

  1. LEO Says:

    93 pilas o rodízio me disseram…
    diz ai Bruno, comparando com o Porcão, em matéria de carnes, é melhor?
    remo no guanabara e vi a obra toda…e pensando, eu vou eu vou eu vou, rsrsrsr

  2. Dri Says:

    Acho que ainda é um pouco cedo para comparar a Fogo de Chão carioca com o Porcão, que já tem a manha do carioca. Inclusive mais pra frente vou solicitar um post parecido com o que vc fez pro Porcão, algo como “Como fazer valer seu rodízio”, contando quais os melhores cortes e acompanhamentos. Eu, como adoro cordeiro, muitas vezes já pago meu rodízio só nas costelinhas. O trem caro em restaurante a la carte!!

    Aproveitando o link de comentários não relacionados, sei que mesmo feliz de estar em Santa Catarina vc deve estar triste de perder o fim de semana gourmet de Buzios no qual vc é presença constante!!

  3. Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro « Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […] Fogo de Chão […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: