Botequim do Jóia, no Centro do Rio: um bar que é uma pérola antiga

Ele fica ali na Rua Júlia Lopes de Almeida (antiga Travessa Oliveira), na esquina com a Rua da Conceição. Nome oficial: Botequim do Jóia (dos tempos, claro, em que a palavra ainda tinha acento).

A especialidade: servir um Rio antigo, em forma de serviço cordial, mas lento, paio afogado no feijão com farofa de ovos, franguinho assado, cerveja de garrafa sempre gelada, servida em copinho americano da Cisper.

Pelas paredes há pôsteres do Botafogo e de mulheres nuas, numa improvável combinação, diga das melhores oficinas mecânicas.

O boteco chegou a fechar as portas depois da morte do dono, o seu Jóia, com acento. Pois alguns amigos do bar se cotizaram, e passaram a tomar conta do lugar, ajudando a simpática viúva, dona Alaíde (nome de quituteira boa é esse, né?), a tocar o negócio. Time de craques, capitaneados pelo bravíssimo Ataíde Venância, boa-praça, agitador cultural e carnavalesco, enófilo e donos de outras virtudes, como ser amigo do Moacyr Luz e frequentador do Armazém Senado, também naquelas cercanias com um quê de Rio antigo, pelas imediações da Presidente vargas nos arredores da Central do Brasil. Amigos tomarem conta de bares, preservando-os da descaracterização, algo tão comum ultimamente, é uma linda prática carioca. Há vários exemplos assim. A Toca do Baiacu, no burburinho boêmio da Rua do Ouvidor é um desses botecos. Outro é a famoso Adega Pérola, monumento da gastronomia carioca.

Pois no Bar do Jóia, ou no Botequim do Jóia, como queira, temos apenas o menu do dia, com pratos anunciados à porta, no quadro negro.

O paio no feijão, servido com farofa de ovos e arroz, é a receita mais famosa, e custa ridículos R$ 10 (repara no prato florido, que graça), seguido pelo frango assado que merece aplaudos (por R$ 12), com carne tenra e saborosa, pelezinha dourada, perfumado.
Como neste dia, minha última visita, o menu também anunciava, ainda, dobradinha (R$ 14)e carré com batatas (R$ 13).
No salão antigo e bem agradável, encontramos estudantes das redondezas, grupos de amigos e boêmios incorrigíveis, com terno e gravata, que dão uam escapulida do trabalho para uma cervinha, ou ali se encontram depois do expediente, que às vezes acaba cedo para muita gente que trabalha nas empresas públicas das redondezas, e dão uma paradinha no Jóia para uma happy hour mais cedo que o usual, antes de voltar para casa, na hora do rush.
O Botequim do Jóia, por essas e outras, é um achado.

 

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro (e umas crônicas como essa): clique aqui.

Anúncios

9 Respostas to “Botequim do Jóia, no Centro do Rio: um bar que é uma pérola antiga”

  1. Dri Says:

    Na hora do almoço. Isso não se faz. Meu pobre franguinho grelhado ficou até sem graça perto desse paio!

  2. Lílian Santos Says:

    Brincadeira!!! Há duas semanas atrás, seguindo um antigo post seu, fui almoçar no Restaurante 28 (cordeiro divino, aliás) e como eles fecham cedo (cheguei às 15:00h e o expedinte encerra às 16:00h), fui até o morro da Conceição tomar a saideira no Imaculada (lugar que já conhecia graças a uma dica sua e do Juarez, que segui tão logo vcs soltaram esta pérola). Se este post tivesse saído antes, com certeza teria terminado meu dia no Jóia.
    Mais uma ser seguida. Grande abraço.

  3. luiz fernando Says:

    Excelente dica, maior jeito de Pé sujo,mas na verdade um lugar onde se come uma honesta e farta refeição com uma cerveja gelada, quando for ao Rio, prometo conhecer o lugar, sao estes lugares que fizeram a tradiçao da conversa de bar no Rio, outro dia , li, acho que na revista o Globo uma reportagem sobre bares do Tipo do joia que poderiam estar ou foram fechados e que tem uma galera engajada em salva-los, inclusive na matéria em questao o Joia e dona Alaíde era citada em face dos problemas finaceiros em tocar o lugar , muito bom, vou lá com certeza.

  4. fesembengalas Says:

    Vc sabe mesmo das coisas, cara.

  5. Marcelo Says:

    Rapaz, almoçamos na tia (assim chamamos dona Laíders) sempre que podemos pois , graças a Deus, tem ficado sempre cheio, principalmente sexta feira, onde tem a feiojoada mais saborosa do Centro. Mais ainda quando é feita de feijão manteiga. Porém o mais bacana e se sentir em casa ou na casa de nossa vó, nos aromas, sabores e músicas antigas. As confrarias que ali se reunem melhoram o ambiente. Mas nada se iguala a poder levantar e pegar a cerveja direto no freezer, pois isso ajuda a tia no atendimento rsrss Grande dica e parabéns…

  6. marcio pedreira Says:

    Galera. A confraria Viúvas do Gaiato programou mais uma noite de MPB e samba no botequim do Jóia, para o dia 06/07/12, sexta-feira. O bom e velho Jóia só gostava de música clássica, essa tradição a casa mantém em seu expediente normal do dia-a-dia. Normalmente, a casa não funciona após o horário do almoço. Mas, as noites com a música do diretor Cacá do peruá e Pitú são especiais além de ajudar nas finanças e a divulgar o estabelecimento. Para acompanhar os eventos do boteco e conhecer as estórias do velho, da Alaydinha e do estabelecimento conheça no facebook ( bar do joia ) ou o blog ( http://botequimdojoia.zip.net ).

  7. BRUNO BASTOS Says:

    Vou lá amanhã (19/10/2012) conhecer essa JÓIA !

  8. Eugenia Rodrigues Says:

    Melhor feijão do mundo…

  9. Reginaldo Magalhães Says:

    O Bar é uma preciosidade. A feijoada da sexta é de lamber os beiços. Os pratos especiais, feitos por encomenda, principalmente o pernil, é inesquecível. Conheço o bar desde a década de 80. Deveria estar incluído no roteiro turístico da cidade.
    Molequinho 90 e 92.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: