Copacabana, princesinha do bar: comemorando os seus 120 anos o bairro reúne a melhor e mais variada seleção de botequins do Rio de Janeiro

Copacabana que está completando hoje 120 anos é um bairro notável. Tem de tudo. Historicamente sempre abrigou muitos dos melhores restaurantes do Rio. Dos atuais Le Pré Catelan e Cipriani aos finados Enotria, Le Bec Fin e Le Saint Honoré. E o Nino.

Em Copa encontramos os melhores crepes do Rio, no Le Blé Noir, e também o melhor árabe da cidade, o Amir. E o melhor e mais tradicional japonês, o Azumi. O Pérgula serve o único brunch carioca digno de nota. No cardápio variado de especialidades copacabanenses, temos casas baianas, como o Siri Mole; italianas, como o La Fiducia, la Trattoria e o Spaca Napoli, e a pizzaria Capricciosa; portuguesas, como o clássico A Marisqueira e o pequenino e agradável Alfaia; e até paraenses, como o Arataca; chinesas, como o Chon Kou, bastante autêntico e barato, uma experiência gastronômica e cultural, com vista para o mar, que todos deveriam vivenciar pelo menos uma vez, casa que em dezembro completa 40 anos. Há lugares que conservam a sua antiguidade sabe-se lá até quando, como a Cirandinha, e seus sorvetes em cone de alumínio, e A Polonesa, que definha a olhos vistos. Galeterias, são muitas as recomendáveis: Sat’s, Viva Flor, que estão entre os melhores do Rio. Temos o fresquíssimo Alloro, e o Da Brambini (claro, o Leme é uma extensão de Copacabana, espécie de Inhangá ou Bairro Peixoto litorâneo). E outras boas novas, como o Zot Gastrô Bar e a Boulangerie Guerrín. Copacabana ainda nos oferta a Colombo do Forte, e sua vista espetacular, e tantas boas lojas para se comprar comes e bebes: Lidador, Deu-la-Deu… Para os notívagos, muitos endereços funcionam 24 horas, ou quase isso: há quiosques na praia, para a saideira, e há o Cervantes, clássico das madrugadas, e o Eclipse, esse, sim, um lugar que jamais fecha as portas, porto seguro para comer e beber seja qual for a hora do dia. Terminar a noite em um quiosque da praia de Copacabana é fantástico, entre outras razões porque o sol nasce no mar. Ver o dia amanhecer tomando a saideira em um quiosque de Copa é algo muito carioca.

Apesar de tantos endereços imensamente relevantes, se nós precisarmos escolher uma categoria de bares e restaurantes para representar Copacabana, seriam os botecos. Copacabana é o principal reduto de grandes botequins do Rio, junto com o Centro da cidade, se incluirmos Lapa, Gamboa e Saúde. Evidentemente, sabendo disso, estão ali todas as redes: Informal, Belmonte, Devassa, Boteco da Garrafa, Bar do Adão Manoel e Joaquim. na minha opinão, a única que não considero desprezível, com todo o respeito, é o Bar do Adão. Não vejo razão para frequentar as outras casas.

Mas, sim, a lista de botecos e similares em Copacabana é a mais brilhante da cidade.
Temos o Aboim, onde encontramos o melhor PF do Rio no quesito custo-benefício. Por uns R$ 9, R$ 10 conseguimos comer uma refeição para lá de saborosa, com feijão e farofa, boa pimenta. E a seleção de uísques apresenta o melhor preço da Zona Sul.
E a Adega Pérola, esse boteco exemplar, um bar de tapas tipicamente carioca, com as suas dezenas de porções de petiscos expostas na vitrine refrigerada.
Em Copa cresceu e apareceu o Pavão Azul, que vive ganhando títulos de melhor boteco, melhor petisco etc etc etc. Com justiça, que se diga. É um botecão, com administração familiar, ótimos petiscos e cerveja sempre gelada.
Na Galeria Menescal, o Baalbeck é um boteco árabe, com esfirras gloriosas.
Só mesmo em Copacabana para existir um boteco como o Bip Bip, que mais que um bar, é também uma roda de samba, da melhor qualidade, e um bloco de carnaval, sempre um dos mais divertidos.
Para comer petiscos de peixes e frutos do mar, melhor ainda se for depois da praia, na companhia de tulipas de chope, não conheço lugar melhor no Rio do que O Caranguejo. E também o Mônaco. Lugares para irmos sem camisa, de chinelo, e cheio de areia na perna.
Salvação das madrugadas, o Cervantes serve os mais famosos sanduíches do Rio: o filé com abacaxi, e o pernil com abacaxi, ambos servidos no pão de leite, são a glória.
Logo ao lado, o Sat’s Galetos é outro clássico das madrugas, onde comemos franguinhos com farofa, sanduíches de linguiça, bebendo chopes e boas cachacinhas.
Ali naquele zona de transição entre Ipanema e Copacabana, mas oficialmente ainda em Copa, a Adega de Cesare, além de um restaurante de cardápio tradicional com preço justo e porções fartas também tem um pequeno e agradável boteco, que espalha mesas na calçada e serve empadas deliciosas.
Há muitas boas galeterias, e churrascarias à moda antiga em Copa, com churrasqueira a carvão, e muitas vezes aquele balcão com tamboretes, como o Viva Flor e o Rincão do Tchê, onde, além de galetinhos, podemos comer boas picanhas, contra-filés, maminhas e lombinhos de porco.
Outro boteco carioquíssimo é o Real Chopp, que começou a sua carreira sendo chamado de Real Sucos, mas acabou assumindo a sua vocação boêmia anos mais tarde, e hoje serve uma das melhores seleções de petiscos da cidade, boa parte deles expostos na vitrine.
Passando na porta, não damos nada pelo Bar Panamá, mas basta entramos, e pedirmos os pastéis, e também outros salgadinhos, para ver que ali come-se bem, muito bem. E ainda temos uma digna seleção de vinhos, com espumantes, geladinhos, a bons preços.
Na esquina da Constante Ramos com a Domingos Ferreira encontramos o Belo Bar, que serve um chope sensacional, acredite.
A lista de botequins copacabanenses parece não ter fim: na Praça Serzedelo Corrêa, o Cevada é um belo boteco, mesmo pertencendo ao grupo Belmonte, porque me parece melhor que os da rede.

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

11 Respostas to “Copacabana, princesinha do bar: comemorando os seus 120 anos o bairro reúne a melhor e mais variada seleção de botequins do Rio de Janeiro”

  1. Paulo José Says:

    Excelente texto! Mas já que citou o Alloro e o Da Brambini, faltou o D’amici, um dos melhores do Rio!
    Abraços
    Paulo José

    • brunoagostini Says:

      Paulo, tens toda a razão, esquecer o D’Amici foi uma falha grave, porque é um dos meus restaurantes preferidos na cidade. E faz tempo que não vou. Irei em breve. Ótima lembrança. Um abraço

  2. Dri Says:

    Manoel e Joaquim desprezivel? Ai ai ai, assim vc me mata! Tudo bem que o que nós costumamos frequentar é o da Farme, mas acho tudo no cardápio uma perdição. A batata ao Joaquim, por exemplo, além de ser sempre sequinha, é servida com linguiça e alho frito, o que é infinitamente melhor do que aquelas gororobas de queijo e bacon e pseudo-cheddar de outros lugares. A caipirinha pode ser feita com cachaça artesanal da própria rede e que é uma delícia. E os pratos principais são todos bem servidos e bem executados. Isso pq eu nem falei da banana de sobremesa e dos preços, justissimos…

    • brunoagostini Says:

      Pois é, acho desprezível mesmo. Não que seja ruim. Não é. Mas numa cidade com tantos botecos legais, com tantos ótimos portugueses, eu não vejo sentido ir ao Manoel e Joaquim. Bem, fritas com bacon e cheddar eu não peço…
      E quando marcamos nosso jantar? Pode ser no Manoel e Joaquim se quiser. Eu sempre dou mais uma chance a lugares que peguei certa implicância, como é o caso.

      • Dri Says:

        Até onde eu me lembro, é a sua agenda que está mais cheia de viagens e degustações do que a nossa! E não precisa ser jantar no MJ, eu gosto mesmo de lá pro pós-praia, pro jogo do Flamengo, pra um choppinho perto do CEP. Mas se é pra falar de desprezível, eu ficaria com O Caranguejo. Acho o pastel muito ruim, com pouco camarão no recheio, pouco tempero e fritura pesada… Mas o que importa mesmo é que o Rio (e Copacabana) oferece opções pra todo tipo de paladar!

      • brunoagostini Says:

        Pode sugerir, mas eu me interessei em conhecer um boteqco novo, que abriu aqui pela Prala da Bandeira: http://www.forneriasantafilomena.com/
        Que tal?

    • brunoagostini Says:

      Essa semana ainda tá meio complicado, a partir de segunda melhora. Mas é só a gente marcar: que tal na quarta que vem?

      • Dri Says:

        Acho que quarta que vem tá ok sim! Vou só checar com o Pedro e depois confirmo. Mas que tal algo mais inspirador que MJ? =P

      • Dri Says:

        Pode ser, vamos nos falando… Vc conhece esse lugar aqui, em Santa? http://www.mikeshaus.com.br Também me pareceu apetitoso…
        PS: Sempre que eu entro aqui pra responder e dou de cara com o choquinho de camarão, eu morro um pouco!

      • brunoagostini Says:

        Conheço, é bom à beça!!!! Pode ser lá, sim. Beijos!!!!!

  3. ivaní aranha Says:

    qual o endereço do bar princesinha de Copacabana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: