Leitãozinho assado e a nova adega da Gruta de Santo Antônio, em Niterói: uma deliciosa tarde de sábado cruzando a Baía de Guanabara

Era sábado. Linda manhã de sol. No inverno.
Clima perfeito para ir a Niterói almoçar na Gruta de Santo Antônio, sob as bênçãos da cozinha portuguesa. Embarco no metrô em direção ao Centro. Salto na estação da Carioca, e caminho tranquilo em direção à Praça XV, com tempo para ver as barraquinhas da feira de antiguidades que se instala debaixo da Perimetral aos sábados. Não compro nada. Só o bilhete das barcas. Cruzando a Baía da Guanabara a coisa começa, de fato, a ficar divertida. São 15 ou 20 minutos de contemplação.

O Santos Dumont. O Pão de Açúcar.


Os prédios do Centro. Minha cidade ficando pra trás.

O Redentor. Que lindo. Quero a vida sempre assim…

O casal passeando pela baía, no maior romantismo.

Os barquinhos dos pescadores.
Desculpe a arrogância. Ou a pretensão. Mas o Rio é a cidade mais linda do mundo. Pelo menos no inverno.


Estamos chegando. O programa, só até aqui, já seria suficiente para me alegrar. Para justificar um post. Apesar de toda a ineficiência da Barcas SA, cruzar a Guanabara é sempre delicioso. Mas ainda faltava a melhor parte, com todo o respeito à paisagem, ao balanço do mar.

Salve, Niemeyer! Desculpe o horizonte torto. Mas sabe como é… Barco, onda…
Desembarcando logo pego o táxi que me leva até o bairro chamado Portugal Pequeno. Programa delicioso: andar de barco, almoçar em um dos restaurantes de que mais gosto.


Fui até lá para conferir duas novidades que atiçaram a minha curiosidade: visitar a nova adega, inaugurada há cerca de dois meses, com capacidades para mais de 2 mil garrafas, recheada de belos rótulos, e experimentar o leitãozinho assado, recém-incorporado ao cardápio.
Primeiro uma visita à adega, bonita e bem abastecida.
Depois, vamos à mesa.


O pão feito na casa é uma tentação, com manteiga.

E mais ainda com os azeites…


Em Portugal um dos pratos mais apetitosos que há, especialmente quando temos bom pão á mão, são as ameijoas à Bulhões Pato, feitas no azeite, com limão, alho, pimenta e coentro. Na falta desses mariscos por aqui, eles fazem a receita usando vistosos camarões, de modo que eu em nada sinto falta do ingrediente original. E finalizo limpando o prato com o pão, sem deixar uma gotinha só de molho.

Depois, uma panelinha de lagostins com cogumelos e abobrinha, fugindo um pouco do receituário clássico português a que estamos habituados nos restaurantes do gênero.


Na taça, um bom branco.


Eis que o grande momento chega: o leitãozinho, só ele, já justifica irmos até lá.

Carne delicada, com pele crocante, e tempero exato: nem mais, nem menos. Assim como fazem na Bairrada, onde o pequeno suíno é a estrela dos cardápios, o molho que reúne os temperos com os sucos do animal, resultado do cozimento, são servidos ao lado, para quem quiser dar um tapa no sabor, e umidificar o prato, que é servidos com louváveis batatinhas fritas e, genial toque de brasilidade, uma farofinha esperta. Só de ver a foto, só de escrever, dá vontade de voltar lá…


Para encerrar, um pratinho de queijo manchego, devidamente escoltado por um bom Madeira. Encerrar?

Mas e que tal um bom pata negra? Vamos em frente.

Sem deixar de reparar na beleza do presunto, na delicadeza do corte.


Quando pediram uma porção de bolinhos de bacalhau, subverti a lógica, e fiz do petisco uma pré-sobremesa. Deliciosa. Com azeite. Pimenta, e tudo.


Para acompanhar o café, um pastel de natas.


Depois, pudim.
Hora de partir.
Dessa vez, chamei um táxi.

Índice de posts de cidades no estado do Rio de Janeiro: clique aqui.

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

4 Respostas to “Leitãozinho assado e a nova adega da Gruta de Santo Antônio, em Niterói: uma deliciosa tarde de sábado cruzando a Baía de Guanabara”

  1. goldonicomunicacao Says:

    Como sempre maravilhoso seu post.

  2. Marcio Soares Says:

    Melhor que a postagem, talvez, as delícias apresentadas.

  3. Júlio Castro Says:

    O melhor do Rio.Comida portuguesa mesmo.Preços ótimos.Vc se sente em casa.Levando um isopor é só passar mais adiante no mercado São Pedro e comprar os peixes do mês.abs.

  4. Júlio Castro Says:

    Lá tb tem um portuga chamado Decolores.Ainda n fui mas dizem q os petiscos é qqr coisa. Tenho q conferir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: