Cabrito assado e outras deliciosas novidades do Quadrifoglio

O Rio nunca esteve tão bem servido de casas italianas quanto hoje. Podemos contar uns 20 restaurantes que valem mesmo a pena serem visitados e revisitados.

Um dos meus preferidos é o Quadrifoglio, no Jardim Botânico, bom exemplo desta fase. Uma espécie de reinvenção de uma cozinha clássica do Rio de Janeiro, por anos comendada por Silvana Bianchi, renasceu há cerca de quatro anos, sabendo respeitar o nome construído ao longo do tempo, preservando algumas receitas tradicionais, até hoje em cartaz, mas também apresentando novos pratos constantemente. Isso é resultado de uma equipe bem montada, uma das mais entrosadas da cidade, da cozinha comandada pelo chef Kiko Faria (na foto, à direita), à patisserie, onde Lomanto Oliveira dá as cartas, até chegar ao salão, terra do maitre Francisco Pereira, ao serviço de vinhos, ofício do Renato Rangel (na foto, à direita – e, como dá para perceber pelo vinho, era no final do almoço).

Desde a reinauguração sempre achei que tudo corre bem por ali. Conversando com amigos, me confirmam essa impressão. O novo Quadrifoglio chegou para se colocar entre os melhores restaurantes da cidade, assim como o antigo – com a dificuldade extra de que hoje em dia a concorrência é maior.

Pela regularidade, é um lugar infalível, que para mim.

Outro dia fui almoçar lá. Mais uma vez, novidades à vista.

O couvert, com pães feitos ali, grissini, manteiga e azeite, aqueles elementos básicos que, quando bem feitos são a melhor maneira de se começar uma refeição, estavam lá, frescos como das outras vezes, tudo feito ali.

Para dar um tchã na parada, Michel Loriot Blanc de Noirs, um desses grandes champanhes, mas com bom preço: das melhores relações custo-benefício atuais.

Abrindo os trabalhos, um delicado carpaccio de congro negro defumado, que me lembrou muito o sabor do haddock, acompanhado de uma saladinha, com cebola crua, tomate… Gostoso, leve e delicado.

Em seguida, uma pancetta com rúcula, croutons e gomos de laranja. Novamente, gostoso, leve e delicado.

Dois pratos que eu não conhecia ainda, dessas novidades que o chef vive incorporando ao cardápio, e muitas vezes é apresentado apenas verbalmente, pelos garçons.  Vale a pena perguntar sobre o assunto. Muitas vezes, ele está até testando receitas, e dá umas provinhas. E esta é uma das virtudes da casa, sempre tem novidade.

Em seguida, o meu preferido. Sobre o caldo de grão-de-bico, feijão branco e lentilhas al dente, bem temperadinho, delícia, havia vieiras e lulas, e uma pancetta crocante. Lindo, né? O mais incrível é que é melhor do que parece, uma coisa de doido. Quase pedi para repetir… Comeria este prato todos os dias.

Todos mesmo, ainda mais na companhia do ótimo Crasto 2011 na taça.

Com imensa alegria recebi o ravióli de abóbora com molho de camarão, leve e bem delicado, com tempero bem equilibrado e massa fresca feita na casa.

Quando chegou o agradável Columbia Crest Cabernet Sauvignon 2009, um belo tinto americano, pressenti que o cabrito assado, que dias antes havia despertado a minha vontade de retornar à casa do Jardim Botânico, estava a caminho.

De fato, era ele.

Repara só no corte fino e delicado, no molho espesso, com toquezinho de ervas e nas batatinhas, acompanhadas por umas cebolas desmaiadas, só para dar uma coradinha. Também repetiria esse prato, mole, mole.

Para eu não ficar triste porque o final se aproximava, chegou um pratinho de queijos, com direito a pão de passas, umas frutas secas e geleias, como manda a regra. Sou a favor do movimento: Restaurante, sirvam pratos de queijo entre os pratos salgados e a sobremesa. Isso é algo tão fundamental. Dizia Brillat-Savarin  que uma refeição verdadeiramente gastronômica sem trufas não existe. Pois eu acho que o raciocínio se aplica aos queijos.

Por fim, um trio de sobremesas (Lomanto é mesmo fera): uma espécie de bomboloni, uma tortinha de pistache e um bolinho com sorvete (confesso que me esqueci os detalhes de cada um). Para tornar tudo ainda mais sublime, um cálice de Jerez El Maestro Sierra Pedro Ximenez, que é show de bola.

Foi um lindo almoço, no aspecto visual e gustativo.

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro:clique aqui.

Anúncios

Uma resposta to “Cabrito assado e outras deliciosas novidades do Quadrifoglio”

  1. Gilmar Prado Says:

    Excelente dica.Estou água na boca,com certeza!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: