Comida de rua, bistrôs carioca, feijoadas das escolas de samba: uma nova, imperdível e deliciosa geração de guias gastronômicos do Rio de Janeiro (Recomendo a leitura, e também as dicas!)

Guias - foto
Vejo com grande alegria que o Rio vive um ciclo virtuoso em relação à comida. Não são apenas novos chefs, novos restaurantes, novos polos gastronômicos surgindo, e cozinheiros de outras partes do Brasil, e de outros países, chegando para trabalhar na cidade (como já contei neste post aqui).
Na esteira da pacificação, estamos explorando biroscas em favelas, antes praticamente um esporte de aventura, botecos e restaurantes em lugares inimagináveis para o pessoal da Zona Sul: conheço muita gente boa que até pouco tempo só atravessava o Túnel Rebouças para ir ao Maracanã e ao Galeão, gente que hoje explora a boa mesa que existe em Ramos, Cachambi, Bráz de Pina e outros bairros fora do eixo mais turístico da cidade, Centro-Zona Sul-Barra da Tijuca.
Neste movimento de expansão das fronteiras da cidade, as clássicas feijoadas das escolas de samba ganham cada vez mais atenção.
Esses movimentos estão resultando em deliciosas publicações, que fogem do antigo estilo dos guias gastronômicos. Primeiro, o Guia Carioca de Gastronomia de Rua, ótima sacada, que apresenta vários quitutes espalhados pela cidade. Delícia. Lançaram a segunda edição recentemente, e – ao que consta – estão preparando uma versão com bons lugares para se comer nas favelas pacificadas. Boa ideia.
Agora, do final do ano para cá, fomos brindamos com mais dois livros com recorte bem originais. O primeiro foi a versão carioca da série Bistrôs, de Alex Herzog, que já havia feito edições de Paris e de Buenos Aires. Ali, a filosofia é buscar lugares onde se podem comer bem pagando preços justos, em ambientes charmosos. Lindas fotos, do próprio autor, ilustram muito bem o livro, que está tão (ou mais) delicioso que os anteriores, numa seleção muito bem feita de endereços. Curti muito.
Agora, mais uma novidade bacana chega às prateleiras das livrarias: trata-se do Guia de Feijoadas das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, que apresenta de forma muito agradável esse clássico carioca, que combina duas paixões da cidade: o samba e o feijão.
Delícia.
Recomendo não só a leitura, e o deleite com as fotos, dos três livros, mas também indico que podemos seguir as dicas: vale a pena explorar a comida de rua, os “bistrôs” cariocas e a feijoadas das tias das escolas de samba.
Ô, meu Rio delícia.

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

Uma resposta to “Comida de rua, bistrôs carioca, feijoadas das escolas de samba: uma nova, imperdível e deliciosa geração de guias gastronômicos do Rio de Janeiro (Recomendo a leitura, e também as dicas!)”

  1. Bistrôs Says:

    […] no Blog do Bruno Agostini, Rio de janeiro a Dezembro, o post sobre os mais recentes livros da boa gastronomia carioca, […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: