O novo corte australiano do Esplanada Grill e uma linda tarde dominical

Maria foi apreciando o sorvete por quase todo o caminho ipanemense, da sorveteria Vero à casa de carnes Esplanada Grill lambuzando a roupa, as mãos. Ficou irritada ao imaginar que as pessoas estavam olhando para ela, com a blusa manchada de chocolate com avelã. Minha gargalhada ao escutar a desconfiança da própria deixou a menina ainda mais furiosa. Crianças são engraçadas, entre outras coisas.
E foi assim, emburrada, que ela chegou ao restaurante. Eram 13h. E lá já me esperava numa mesa do bar meu querido amigo, irmão e ídolo, Pedro Mello e Souza, e foi com essas credenciais afetivas que apresentei o grande amigo à filha. Com certeza estar em tão boa companhia ajudou a Maria logo a relaxar e curtir o momento, porque afinal não é todo o dia que vamos à melhor churrascaria da cidade, e eu disse isso a ela.
– Maria, acho que vcê nunca comeu uma carne tão boa quanto essa, nem mesmo nos churrascos que papai faz – disse eu, sem qualquer modéstia (na verdade já tínhamos ido almoçar lá certa vez, mas faz muito tempo, ela era pequena, e não se lembra bem dos detalhes).

Esplanada Grill - pimentas

Tivemos uma aula sobre pimentas com o barman, que as compra em uma feira de Duque de Caxias para preparar um molho porreta.
A razão do encontro dominical, além de reencontrar o amigo, era provar uma carne recém-chegada ao Esplanada Grill. São cortes australianos, resultado do cruzamento do gado wagyu japonês com uma raça australiana. E, é claro, brindarmos a vida.

Esplanada Grill - Cuvée do Cramulhão
Estava um dia lindo, e abrimos os trabalhos apreciando uma cerveja para lá de especial, a Cuvée do Cramulhão (cuja história está bem explicada lá no meu blog d’O Globo, Enoteca: para ler o post, clique aqui). Empunhando essa bebida doida, e deliciosa, fomos comendo os indispensáveis pães de queijo, os melhores da cidade.
Não demorou para a garrafa chamar a atenção das mesas vizinhas, e logo estávamos conversando sobre a rara cerveja, e até demos um pouco para o senhor ao lado, muito curioso a respeito, provar.

Esplanada Grill - Sandalford Shiraz Estate Reserve  2004
Então abrimos um lindo Shiraz australiano, Sandalford Estate Reserve 2004, de Margaret River, um vinhaço, potente e delicado. A Shiraz, para mim, é a uva soberana quando o assunto é churrasco, e vai bem com todos os cortes, da maminha ao cordeiro, passando pelas linguiças e corações, e este miúdos galináceos foram o nosso primeiro pedido da grelha. Já até escrevi sobre isso algumas vezes, como neste post aqui, da Enoteca.

Esplanada Grill - Maria e Pedro

A mesa era uma deliciosa farra. E a Maria bem que tentou botar um chifrinho no Pedro na hora da foto, mas a altura não permitiu. 🙂

Esplamada Grill - coração
Pois os corações do Esplanada Grill também são os melhores do Rio, e ali é o único lugar fora da minha casa, em churrascos com cardápio também infantil, onde provo a iguaria miúda. Os corações do Esplanada, com tempero exato, chegam suculentos, macios.

Esplanada Grill ojo de bife australiano
Como não havia muita dúvida sobre o que pedir, logo chegou um indecente ojo de bife com a tal carne australiana, que se encaixou perfeitamente com o vinho conterrâneo.

Esplanada Grill ojo de bife australiano 2
Deste ângulo podemos perceber melhor a gordura, grande responsável pelas virtudes deste corte, ali no “quadrante noroeste” da carne.
Farofinha, palmito assado e batatinhas fritas acompanharam com o brilhantismo de sempre.

Esplanada Grill - Gim tônica
Para a sobremesa, voltamos ao bar, princípio de tudo. Não pedimos doce, mas um gim tônica. E um café. Às 17h em ponto deixávamos o restaurante. Foram quatro horas à mesa. Maria se comportou de maneira exemplar: desenhamos, brincamos de jogo da velha, e ela muito mexeu no tablet do Pedro e no meu telefone. E ela se divertiu um bocado, e depois me disse que adorou, o Pedro “Ele é muito legal” e o restaurante, lembrando que o tal boi australiano foi uma das melhores carnes da vida dela, e da minha também. Muito macia, muito suculenta, muito saborosa. Às 17h20 já estávamos no cinema. “Meu Malvado Favorito 2” já vai começar.
– Papai, compra uma pipoca, por favor?

P.S. – Estão me pedindo para escrever um post sobre essa onda de ações do Procon-RJ nos restaurantes mais caros do Rio. Em primeiro lugar, não se trata de assunto gastronômico, mas caso de polícia. Evidentemente sou a favor de fiscalizações do gênero, porque essa é uma questão de saúde pública. Intoxicações alimentares podem até matar. É preciso que se faça isso regularmente, em estabelecimentos caros, mas também nos mais baratos, com rigor e seriedade. Mas, como já escrevi na caixa de comentários do post anterior, não deixarei de ir ao Antiquarius, nem ao Cipriani, nem ao Satyricon, nem ao Esplanada Grill, nem ao Quadrifoglio.

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

4 Respostas to “O novo corte australiano do Esplanada Grill e uma linda tarde dominical”

  1. Dri Says:

    Ficou cortado o PS!

  2. Júlio Says:

    Em relação ao P.S. Só peço isenção .Se vc vai levar sua filha ,parentes é problema seu.Abraços.

  3. brunoagostini Says:

    Não entendi o que você quis dizer, Julio…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: