O menu executivo do Outback: a melhor pedida (mais barato, e com as carnes no mesmo nível)

Antes de mais nada, preciso dizer uma coisa: gosto muito do Outback. Detesto a fila, o aparelho que nos dão para esperar a nossa mesa, mas adoro comer ali, carnívoro que sou. Foi lá, por exemplo, que provei pela primeira vez, há cerca de dez anos, o Ribeye, ali chamado Rockhampton Ribeye, lindo filé, coração da costela – e desde então este é um dos meus cortes preferidos até hoje. Aprecio NY Strip da casa, o The Outback Special, rico pedaço do Sirloin, a picanha dos EUA e outros países de origem britãnica, e também o seu gigantesco The Porterhouse, meio quilo de gostosura, suculência e maciez. A costelinha defumada com molho barbecue se soltando do osso é pura alegria. E a Outback rack, as costeletas de cordeiro, ficam deliciosas com um bom Shiraz australiano vendido ali. No Outback, nunca comi uma carne que não estivesse boa, no ponto pedido. Para acompanhar os prazeres da carne, vez sim, outra também, peço aquela garlic mashed potato, o purê de batatas com toque de alho, que tanto gosto a ponto de tentar reproduzir, com relativo sucesso, em casa a receita.
Gosto do pão, mas não daquele “manteiga” estranha que tanto agrada aos americanos. Mas ok. Para começar, a famosa cebola, Bloomin’ Onion, é um petisco que realmente me faz feliz.
Não que seja um frequentador assíduo, mas já fui lá umas 10 ou 15 vezes na vida. Quase sempre, nos últimos anos, na unidade do Shopping Leblon, que muito frequento com a filha, seja para ir ao cinema ou ao teatro, seja para ir ao parquinho. Naquela tarde fria e chuvosa de terça-feira, escolhemos a programação do dia baseados na meteorologia: não tinha praia, não tinha Parque dos Patins.
– Papai, então vamos ver hoje o Turbo?
O convecimento foi fácil. E lá fomos nós. Ingresso comprado. Havia um bom tempo ainda para a sessão, coisa de uma hora e meia. A fome bateu. Considerei almoçar no Ráscal, ou na Cavist. Acho até que dá tempo de ir ao Clipper ou ao Alvaro’s, pensei. Foi foi a lembrança do menu executivo do Outback, que jamais havia provado, o que falou mais alto naquele momento.
Outback - pãoCusta uns R$ 40, e inclui o pão australiano com a tal manteiga, uma entrada (sopa ou salada) e vários pratos principais, entre eles o Rockhampton Ribeye, que naturalmente foi a minha pedida (também servem o Skirt Steak, uma fraldinha também bastante recomendável), entre outras receitas da casa, como a massa com camarões e molho cremoso de vinho branco, o filé de tilápia e o frango glaceado em mel e mostarda, e o filé em crosta de ervas. Um parêntese: a mesma lógica vale para a Billabong Hour, quando as bebidas custa a metade (na verdade, é o esquema pague um beba dois, o que faz a casa ficar cheia entre 17h30 às 20h, quando a promoção está em vigor).

Outback - salada e rockhampton ribeye
Pedi uma sopa de milho, mas estava em falta. Acabei escolhendo uma salada caesar honesta, que foi servida junto da carne, a meu pedido (poderia vir antes). O Rockhampton Ribeye veio delicioso como sempre vem, macio, saboroso, suculento. O garlic mashed potato idem.

Outback -  rockhampton ribeye

Merece um close. Pedi um vinho australiano para acompanhar. Maria comeu comigo (de noite tinha jantar marcado no Sá, novidade que muito gostei, no hotel Miramar, em Copacabana, post de amanhã, então convinha maneirar no almoço), e adorou a carne, e também o purê. Não provou a salada.
Pai e filha almoçamos felizes. Encerramos com o Chocolate Thunder From Down Under, que para bom entendedor quer dizer brownie com sorvete.
E fomos calmamente ao cinema. Satisfeitos e contentes.

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

7 Respostas to “O menu executivo do Outback: a melhor pedida (mais barato, e com as carnes no mesmo nível)”

  1. Léo Says:

    acho MUITO BOM e subestimado como lanchonete de adolescentes…
    o executivo é de um custo benefício imbatível mesmo

  2. Stephany Grey Says:

    Amo o Outback, mas tenho saudades da época que custava menos… hoje em dia qualquer saidinha no outback sai meio carinho. Dica: Na próxima vez que for experimenta a salada El Ranchito! É deliciosa! Eu prefiro muito mais a caesar deles. Beijos!

  3. Dri Says:

    Outback mora no meu coração, minha conta bancária é praticamente sócia. Pegou a nota fiscal? Preenchendo a pesquisa de satisfação, vc ganha um aperitivo pra proxima ida!

    Eu acho que vou no outback no mínimo umas duas vezes por mês, sempre no Happy Hour… E eu sempre fico confusa com qual comida pedir. Especialmente na hora de decidir entre o Brownie e a sobremesa de maça com croutons de canela!

    Affe, fiquei com desejo agora!

  4. Maysa Alexandrino Says:

    Olá Bruno,
    Também gosto muito do Outback. É impressionante como conseguem manter o padrão de qualidade com o passar do tempo, muito diferente da maioria dos lugares.
    Muitas pessoas tem preconceito com redes. Mas acho que o Outback consegue fazer um trabalho muito bom, servindo, como vc mesmo disse, carnes excelentes. Mesmo os acompanhamentos junkies são deliciosos para quando se está afim desse tipo de petisco, com as famosas batatas fritas e a cebola frita da casa.
    Também gosto bastante da massa com camarões.
    Pedida certa, quando se pode evitar os horários de pico que criam filas absurdas.
    Bjoss

  5. As aventuras gastronômicas de Maria no Rio de Janeiro | Rio de Janeiro a Dezembro Says:

    […] O menu executivo do Outback: a melhor pedida (mais barato, e com as carnes no mesmo nível) […]

  6. Sandro Says:

    Prefiro o Cheesecake factory.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: