Um provável, mas ainda hipotético, dialogo entre paulistanos caso o foie gras seja mesmo proibido em São Paulo

O foie gras com fruta-pão cristalizada e farinha de banana da chef Roberta Sudbrack: objeto de cobiça

O foie gras com fruta-pão cristalizada e farinha de banana da chef Roberta Sudbrack: objeto de cobiça

– Pô, meu, tô animadão.

– Bacana, meu, por que?

– Vou passar o próximo final de semana no Rio. Cacifei uma folga na sexta, então já vou logo na noite de quinta.

– Massa. Vai pra praia? Fazer umas baladas na Lapa? Tomar uns chope no Leblon e umas ampolas na mureta do Bar Urca?

– Não, cara. Vou comer foie gras. Vou pedir todas as receitas de foie gras do cardápio do Le Pré Catelan. Os rigatonis gratinados com parmesão, recheados de codorna, cogumelos do bosque e foie gras. A trilogia de foie gras, com ballotine e chutney de goiabada cascão, royale de foie gras e pêra marinada no vinho de porto, em panela com frutas secas caramelizadas. Demais. Depois, tornedor de filé recheado com foie gras grelhada, torta de batata com cogumelos selvagens. Nham nham nham.

– Devem ser muito bons mesmo.

– Pensa que acabou? E ainda tem o acarajé de feijão-fradinho com foie gras grelhado, chutney de arroz vermelho ao sabor de maracujá, do menu Feijão com Arroz. Vou ver se tenho uma moral na casa, e pedir para o chef fazer. Isso vai ser logo na chegada, na noite de quinta. Na sexta, almoço no Bazzar. Vou pedir torchon de foie gras com alho negro e geleia de Porto branco, de entrada, e o hambúrguer de wagyu com foie gras, claro, como prato principal.

– Caraca!

– De noite, janto no Gero, o clássico tornedor Rossini. Mas, antes, dou uma passadinha no Irajá para comer a entrada: ouvi falar maravilhas do tartare de falso toro, de atum com foie gras.

– Brilhante ideia essa.

– No sábado vou almoçar no Olympe. Salivo só de pensar na terrine de foie gras com palmito pupunha, rapadura e sal preto do Havaí. E ainda tem o magret de pato com maracujá, endívias carameladas e foie gras.

– Uau, meu, um delírio!

– De noite, janto na Roberta Sudbrack. Pior é que eles não divulgam o menu. Mas  vou arriscar, porque preciso provar o foie gras com fruta-pão caramelizada e farinha de banana, da nova coleção da chef.

– Caramba, com fruta-pão?

– É, fruta-pão com foie gras. E ainda tem outro clássico, o risoto de foie gras, mas acho pouco provável que eles estejam servindo duas receitas com o fígado gordo no mesmo final de semana.

– Você podia comer de sobremesa creme brulée de foie gras. Já vi alguns lugares servindo isso no Rio. Ah ah ah!

– Acho que foi em um menu antigo do Le Pré Catelan. Posso pedir para o chef reeditar a receita pra mim… Não vou gastar uma passagem, e mais o hotel, em vão. De lá, ainda vou ao Oro, aproveitando que é ali pertinho, no Jardim Botânico. Tem sempre uns pratos com foie, como o royale de foie gras, outra receita que o tempo tratou se apurar, deixando mais delicada a combinação de fígado gordo com maracujá, granola (embalada de maneira provocante em embalagem transparente e comestível) e frutas desidratadas a frio, preservando frescor e acidez, como eu li certa vez em um blog, o Rio de Janeiro a Dezembro, do Bruno Agostini.

– Esse cara é um idiota, vive dizendo que se come melhor no Rio do que em São Paulo.

– Cara, vou ter que admitir que agora, sem foie gras, come-se melhor no Rio que em São Paulo.

– Ah, meu para. Tá maluco?

– Não tô, não. Não existe alta gastronomia sem foie gras, meu caro…

– Tu acha mesmo?

-,Tenho certeza. Sem falar em caviar e nas trufas brancas.

– De Alba, trufa tem que ser de Alba.

– Concordo. No domingo, vou ao Le Vin. Além do patêzinho do couvert, vou me esbaldar com fricassée de champignons à la crème de foie gras. Peço logo dois. Pena que o Festival de Foie Gras já acabou…

– Esse fricassée é muito bom mesmo. E a terrine de campagne, também vale a pena.

– Meu, tu não sabe. De lá, vou direto para o Naga, também na Barra, para matar as saudades de um prato que eu adoro: o atum com foie gras e flor de sal, bom demais. Vem em duplinhas, vou pedir umas 20.

– Você vai ficar com o seu próprio foie gras comendo assim…

– Vou aproveitar que estou na Barra, e vou dar um pulo no Garcia & Rodrigues, para comprar umas formas de terrine de foie gras. Vou traficar. Quero encomendar umas 10. Quer comprar?

– Quero. Aproveita e passa numa boa delicatessen e traz também aqueles blocos de foie gras enlatados da Rougié? Pô, não vai explorar o teu camarada, né?

– Claro que não. Ágio de 300%. Porque tem certo risco, né? Imagina se me pegam no aeroporto fazendo contrabando de foie gras.

– Contrabando, não, tráfico, né? É proibido, cara. Foie gras é proibido em São Paulo, que nem droga. Que nem crack, maconha, cocaína…

– Vão acabar criando a foielândia. Fuá-lândia, em bom português.

– Também ouvir dizer que o Erick Jacquin está se mudando para o Rio. Vai abrir um bar de foie gras no Vidigal especializado em receber paulistas… Fez até parceria com aquela agência de viagem, Foie Express, que organiza roteiros para destinos “legalize”, como o Rio de Janeiro,, e ainda excursões para o Périgord e a Alsácia, na França, além da Hungria…

– Na segunda, se bobear, ainda aproveito que o voo é no Santos Dumont e almoço na Enoteca Uno, que tá com um menu bem legal, com um prato que me instigou: foie gras com pipoca.

– Você vai acabar se mudando para o Rio…

– Só não fui ainda porque os imóveis estão muito caros.

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

4 Respostas to “Um provável, mas ainda hipotético, dialogo entre paulistanos caso o foie gras seja mesmo proibido em São Paulo”

  1. Paulo José Says:

    KKKKKKKKKK, muito bom!! Com bom humor, oportunismo (no melhor sentido da palavra), achou até um jeito de criticar nossa situação imobiliária atual! Uma ótima sacada! “Conheço uma boca de foie, alta pureza, direto da França” KKKKKKK! Daqui a pouco, nossos vereadores vão na onda!!! Ótimo texto!

  2. Reginaldo Macedo de Almeida Says:

    Genial!

  3. Júlio Says:

    Eu sei que não vou te agradar.Mas texto lindo numa grande bobagem .Coo vc é querido pra mim.Te escrevo isso..

  4. Luanna Priscilla Says:

    Hilário, muito bom, ainda bem que sou uma paulioca…e vc está certo. Come-se melhor no rio atualmente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: