La Lucha: uma casa de sanduíches e sucos sucos, para café da manhã, almoço, jantar, lanche, ceia e afins

La Lucha - fachada de tarde
Sanguche, no Peru, e também no Chile, é sanduíche. Logo, Sanguchería é… Uma casa dedicada a servir refeições entre dois (ou mais) pedaços de pão. Simples assim. Em Lima, essa modalidade gastronômica prática e ligeira é uma tradição cultivada pela população, e existem várias casas especializadas no assunto. Claro que não visitei todas, mas minhas boas fontes informam que a melhor delas atende pelo nome de La Lucha. É também a mais famosa. E pelo frenesi que causei em alguns amigos em mídias sociais, muito brasileiro também aprecia este lugar.

Praça de Miraflores
Hoje existem filiais por toda a cidade, crescimento certamente nascido da explosão da gastronomia peruana, que atrai turistas do mundo inteiro, gente que vai até Lima basicamente para comer, e também pelo bom momento da economia local. Mas a matriz e endereço mais recomendável está numa simpática praça em Miraflores, um centro de convivência, respiro na rigidez do concreto urbano, um pequeno parque florido e bem cuidado, repleto de gatos e muita gente passeando, descansando, lendo.

República
À noite, a praça é dos lugares mais animados de Lima, com muita gente na rua, e pelo menos uma dezena de bares que parecem bem bons, como este aí, o República (a foto foi feita de manhã cedo, por isso está vazia, de tarde e de noite eu vi a casa lotada).

La Lucha - jornais
O Lucha que virou meu queridinho fica exatamente nesta praça, com endereço na na Av. Diagonal, número 308. Todos os dias, como se fossem uma banca de jornal, pregam na porta os jornais do dia (e como há jornais em Lima. Dá até pena do Brasil). Pertinho do meu hotel, estive lá duas vezes, de tanto que gostei.

La Lucha - Marco Espinoza

A primeira delas, foi logo na chegada. Depois do almoço, fomos lá para fazer o necessário lanchinho da tarde. O chef Marco Espinoza chegou com fome e sede, assim como eu, apesar do almoço farto.

La Lucha - Chicharron
Pedi um clássico local, o chicharron, deliciosa combinação de carne de porco com pedaços de batata doce e cebola. Não estava bom, estava maravilhoso. Acho que a foto diz tudo, Até o pão chamava a atenção. A carne suína, e todas as demais, são assadas no forno a lenha. As batatas fritas, com casca, rústicas e sequinhas, estão (bem) acima da média, e como são boas as batatas aqui. Recomendo, ainda, pedir a seleção de molhos da casa, com ajís bem picantes, maioneses etc. Só vão enriquecer a experiência. Eu, pessoalmente, fico com os apimentados. 😉

La Lucha - caixa e carta de sanduíches
Deixo o menu. Leve dinheiro, porque não aceitam cartões.

La Lucha - carta de sucos
Outra especialidade da casa são os sucos. São vários, de diferentes estilos. De uma só fruta, mistos, frozen, shakes, exóticos… Uma especialidade são os chamados “grenadilla”, batidos com esta fruta, que parece um maracujá, mais doce e de casca alaranjada, com menos polpa, misturado a outras frutas.

La Lucha - sucos 2
Provei com manga e laranja, e com banana e tangerina. Pedi ambos sem açúcar, e estavam bem bons. Mas nada que eu não encontre nas boas casas de suco do Rio.
Mas os sanduíches…
Como dizia, gostei tanto do que provei no segundo dia, que hoje resolvi voltar. E a vontade apareceu quando eu vi a foto que minha amiga e companheira de viagem Rozane Sztejnberg postou em seu instagram (@sztejnberg) hoje pela manhã. Eu ainda estava na cama quando vi, e logo fiquei com fome. Ela já havia me falado do misto, mas nada se compara a uma imagem…

La Lucha - misto
E fomos juntos. Eu pedi o misto, e não me lembro de ter comido um misto quente melhor na vida. Este é um sanduíche trivial. Mas não ali. É imenso, e dá até para dividir. São quatro pedaços, de dois andares. O recheio leva dois tidos de queijo, um amarelo e outro branco, mais cremoso, além de presunto, claro, e dois elementos fundamentais para dar grandeza ao sanduíche. Uma pasta de abacate e pedaços de tomate. Simplesmente sensacional. O pão de forma também é bom, mas um dos grandes segredos é qualidade do presunto. Não só é de alta classe, como ainda é levado à chapa, para dar uma tostadinha, e liberar os seus sucos e sabores (repara na foto). Um perfeito exemplo de que a simplicidade, muitas vezes, é o que há de mais interessante no mundo da gastronomia.

La Lucha - pollo piña y queso
Minha amiga pediu o sanguche de pollo con piña y queso, ou seja, naquele estilo que nós carioca tão bem conhecemos, consagrado pelo Cervantes, com queijo e abacaxi, e neste caso, carne de frango, como as outras assadas na lenha, o que, como sabemos, faz toda a diferença.

La Lucha - salão 1
Desta vez comemos no simpático salão, decorado com fotos, …

La Lucha - salão 2

… que vive lotado, de manhã até a madrugada (a casa abre para o café, e só fecha tarde da noite, ainda mais nos fins de semana, quando o movimento por ali é grande)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: