Guia 450 Sabores do Rio 10 – Bar da Amendoeira: carne-seca na farofa, pimenta e chope na caldereta

A carne-seca passada na farofa e o ótimo chope na caldereta, tipo schinitt: duas belas razões para ir até este boteco clássico em Maria da Graça

A carne-seca passada na farofa é servida com o ótimo chope na caldereta, tipo schinitt, com espuma cremosa: duas belas razões para ir até este boteco clássico em Maria da Graça

A carne-seca é preparada com a sabedoria de um grande cozinheiro. Dessalgada no ponto certo, é cozida e depois… assada, acho eu, ganhando uma casquinha mais saborosa, durinha, e com aquele tostadinho que dão relevo a um prato, com o interior rosado, macio, desfiando-se ao toque do talher. Para melhorar, os blocos de charque são envolvidos em uma farofinha leve e branquinha, um empanado de farinha de mandioca. Em seguida, antes de nos servir tal iguaria, o atendente ainda tem a nobreza de cortar os pedaços, para ficarem do tamanho perfeito para serem levadas à boca, espalhando sobre o petisco uns palitinhos, pra faciliar o manuseio de quem dispesa garfo e faca nessa hora. O Bar da Amendoeira, em Maria da Graça, um dos monumentos suburbanos mais relevantes da gastronomia carioca, consegue com algo tão simples preperar um acepipe delicioso, sem igual na cidade (o Bunda de Fora, em Ipanema, mas um parecido, bom, mas que não chega aos pés). Melhora a situação o fato de que a pimenta do Bar da Amendoeira – assim batizado por causa da árvore que enfeita a sua fachada azul desgastada pelo tempo – é muito boa; e que o chope, servido na caldereta, tipo schnitt, está entre os (meus) três melhores do Rio, ao lado do Bar Brasil e Adonis (já resenhados aqui nesta série). Mas não pense que é só carne-seca, pimenta e chope, o que já seria muito. O bar serve, além de petiscos botequeiros, tipo jiló, moela, pernil e bolinho de bacalhau, refeições antológicas, como o angu à baiana dos sábados, que atrai legiões de fãs fieis, e outros clássicos do almoço executivo dos bares cariocas, como carne-seca com abóbora, feijoada (sexta). Há alguns anos, Cesar, o dono, morreu, dentro do bar, após uma briga com o cliente. Apesar da trajédia, o Amendoeira continua firme e forte com um dos bastiões da cultura botequeira do Rio de Janeiro. Graças a Deus, e Maria da Graça.

BAR DA AMENDOEIRA – Rua Conde de Azambuja 881, Maria da Graça. Tel. 2501-4175. Seg. a qui., das 6h às 22h; sex., das 6h à meia-noite; sáb. até 20h. Aceita cartões.

Tags: , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: