Archive for the ‘Drinques’ Category

Sabores peruanos em cartaz no restaurante Pérgula, do Copacabana Palace

26/10/2015
O chef peruano Hernan Castañeda e a sua estação de ceviches, usada no almoço, até sexta

O chef peruano Hernan Castañeda e a sua estação de ceviches, usada no almoço, até sexta

Essa semana os sabores peruanos estrelam o menu do restaurante Pérgula, no Copacabana Palace. O festival começou nessa segunda, dia 26, e vai até sexta, dia 30, no almoço e no jantar. Pela segunda vez o hotel recebe o chef peruano Hernán Castañeda, e parte de sua equipe, como o padeiro David Jordan Lima e o cozinheiro Harlyn Raya Salas, do restaurante The Observatory, do Belmond Miramarflores Park, em Lima.

No almoço, o bufê (R$ 150) vai ganhar uma estação de ceviche, e vários pratos típicos do país, como, eventualmente com pitadas autorais, como tabule de quinoa com lulas grelhadas, tiraditos de peixe, polvo ao molho de azeitonas pretas e arroz com mariscos. Para a sobremesa, suspiro limeño e cheesecake com sauco.

À noite é servido um menu com três etapas (entrada, prato principal e sobremesa, por R$ 140), que começa com um ceviche. Em seguida, costelinhas de cordeiro ao molho seco com purê de feijão branco e batata calabresa ou Parihuela de frutos do mar. Para encerrar, alfajores com doce de leite e sorvete de baunilha. Para beber, Jéssica Sanchez criou uma seleção com drinques, incluindo uma soda não alcoólica de goiaba e variações de pisco sour.

 

Anúncios

Guia 450 Sabores do Rio 51 – Paris Bar: entre clássicos da coquetelaria e as criações da dupla Alex Mesquita e Daniel Milao

19/04/2015

 

Paris Bar - Negroni

O negroni do Paris Bar, preparado com o gelo maciço, que não derrete: casa trabalha entre a tradição e a modernidade

 

Depois da reforma que renovou toda a gastronomia da opulenta Casa Julieta de Serpa, no Flamengo, nasceu o Paris Bar. O ambiente intimista tem uns seis lugares no balcão, e mais uma meia dúzia de mesinhas baixas. Um clima retrô na decoração, e um misto de tradição e modernidade na coquetelaria. Alex Mesquita e seu fiel escudeiro Daniel Milao preparam toda a linhagem clássica de drinques com elegância e precisão, caprichando na apresentação, com copos e louças cheios de personalidade, muitas vezes pinçados em antiquários. Mas vão muito além disso. Usando técnicas e equipamentos modernos de mixologia a dupla cria coquetéis originais, com defumações, flambagens e gelos densos, maciços, que não derretem. Além disso há uma rara coleção de bitters, alguns feitos por eles, e ingredientes originais, recolhidos por Alex em suas viagens. Negroni, bloody mary, dry martini, cosmopolitan e outros clássicos alcançam a perfeição. Mas bom mesmo é explorar as criações da casa. Uma nova carta de drinques acaba de ser lançada, trazendo receitas acertadas, como o Sir Alex, uma combinação entre uísque irlandês, Chartreuse verde, vermouth temperado na casa e sal de frutas natural, retirado de uma barrica de Malbec (uma ripa de carvalho, com ácido tártarico, madeira que agora é usada para fazer as defumações). Outra novidade é o New Old Fashioned, cujo preparo já é um show. Primeiro o copo é cristalizado, com açúcar negro (um primo do mascavo, trazido da Argentina) e Angostura, com gotinhas de laranja. Depois, club soda, bourbon… Vale a pena tentar um lugar no balcão do bar, não só para acompanhar a preparação dos drinques, muitas vezes com técnicas bem interessantes, mas também para poder papear com Alex e Daniel. Não resta dúvida: é o melhor bar de drinques do Rio. Para completar, o menu é de primeira, porque vem da cozinha do vinho Paris Gastrô, ótimo restaurante, que funciona ao lado.

 

PARIS BAR – Casa Julieta de Serpa: Praia do Flamengo 340, Flamengo. Tel. 2551-1278. Ter. a sáb, a partir das 19h. http://www.bar.julietadeserpa.com.br Aceita cartões.

 

 

Franks Bar, um segredinho portenho (pero no mucho)

07/02/2015

Buenos Aires é uma cidade cheia de seus segredinhos, com bares e restaurantes que só abrem as portas com reserva, muitas vezes através de senhas e outras medidas restritivas. Ontem visitei dois deles. A Casa Umare, um hotel butique em Almagro, cujo restaurante só recebe clientes que fizerem reserva (achei que não vale a pena comer no lugar, que é lindo, e deve ser bom para se hospedar), e o Franks Bar, aqui pertinho do meu hotel (o Fierro), em Palermo.
Voltamos do jantar na Casa Umare ainda com sede e sem sono. Eis então que o Marcel Miwa, colunista de vinhos do Paladar, do Estadão, e gente da melhor qualidade, deu a dica, quando eu sugeri uma saideira.
– Cara, estou pensando em ir ao Franks Bar. É um bar secreto, aqui pertinho. Mas tem que pegar a senha para entrar nas páginas deles nas redes sociais. Dizem que o lugar é bem legal, e os drinques são ótimos.
Então, ele foi ao quarto dele buscar a senha de entrada, e logo a gente estava a caminho do bar. O letreiro é uma pequena plaquinha, discreta, discreta.
Batemos na porta. E o segurança, um armário de dois metros de altura por um e meio de largura, com cara de poucos amigos, nos franqueou a entrada, depois de anunciarmos a senha da semana. Depois, a atendente, meio misteriosa, nos perguntou se a gente chegou para comer ou para tomar.
– Para tomar.
Então, ela nos encaminhou a uma cabine telefônica, onde digitamos uma outra senha, nos teclados, e então a porta do bar se abriu. Um lugar bonito, grande, que ainda não estava lotado. E assim conseguimos dois lugares no balcão. O relógio marcava 23h mais ou menos. E por volta da meia-noite o lugar ficou totalmente lotado, com muita gente em pé, sem lugar para sentar.
Os drinques custam na faixa de 100 pesos, o equivalente a mais ou menos R$ 25. A lista tem clássicos, e criações dos barmen (são vários, naquele estilo suspensório, gravatinha borboleta e que tais).

Negroni no Frabks Bar

Provei algumas coisas bem boas. Tipo esse Negroni da foto (não levei câmera, e ela foi feita para o Instagram: @brunoagostinifoto), impecável. Também pedi para o cara me fazer um drinque, indicando que gosto de coisas cítricas e amargas. E ele foi na mosca, me apresentando uma receita que, de tão ácida, chegou a me lembrar cervejas da família Lambic. Curti pra caramba. Recomendo muito o lugar. E deixo aqui a página no Facebook dos caras: https://www.facebook.com/FranksBar.ar?fref=ts E também o site: http://www.franks-bar.com/