Lima Restobar: abre as portas hoje, em Botafogo, um promissor restaurante peruano

Lima letreiro
Vamos direto ao ponto. Abre as portas hoje à noite, em Botafogo, na Rua Visconde de Caravelas, o Lima Restobar, dedicado à moderna cozinha peruana. Lugar com futuro promissor, que confirma o bairro com o mais interessante celeiro de novidades gastronômicas no agitado universo da boa mesa carioca, com casas de perfil jovial e ótima comida.


Lima fachada

O restaurante funciona na simpática casinha que já abrigou o Carême, de Flávia Quaresma, e o Alameda, especializado em escargot, que fechou as portas recentemente.

Lima chef Marco Spinoza

Um dos sócios é o peruano Marco Espinoza, de 33 anos, que já está há algum tempo no Brasil, dono do Taypá Sabores del Peru, em Brasília, um sucesso na capital do país desde a sua inauguração. Para a empreitada no Rio de Janeiro, recrutou um belo time de compatriotas: são nada menos que oito peruanos trabalhando na cozinha e no bar. “Hoje chegou o último funcionário peruano, trazendo 30 quilos de ají amarelo. tô aliviado, agora podemos começar”, disse o chef, que tem como braço direito um jovem que trabalhava na área de criação junto a Gastón Acurio, e que trouxe um time de profissionais recrutado em casas peruanas badaladas de Lima, Buenos Aires e santiago, além de gente que já trabalhava com ele em Brasília. Ontem à noite visitei o lugar, a convite dos sócios, e foi um jantar que me entusiasmou. E foi ali que eles bateram o martelo. “Quero abrir logo, amanhã já vamos estar funcionando, com certeza”, disse o chef, explicando que será uma noite para convidados, mas que também aceitarão clientes.
Agora que já se sabe quem?, quando?, como?, e onde?, seguindo as regras clássicas do lide jornalístico, vamos ao porquê. Que razões nos levariam até lá? A meu ver, muitas.

Lima - Salão
O próprio lugar é bacana. Decoração limpa e arejada…

Lima - quadro
… com uns quadros encomendados a um artista peruano dando cor e alegria às paredes.

Lima mesão

Este mesão, logo à entrada, diante da imensa parede de vidro com vista para a rua, promete ser uma das mais concorridas. Vendo a casa aparentemente aberta, a todo instante chegava alguém querendo jantar ali, ou perguntando a respeito da casa, quando abre etc.

Lima - drinque maracujá
Depois de um longo período em franca decadência, os drinques estão em alta, e são o forte da casa, quando falamos de bebida (confesso que o assunto vinho nem veio à tona, mas sei que, entre as cervejas, haverá Therezópolis).  Depois de um dia calorento como ontem, um drinque refrescante, feito de maracujá e manjericão, era um senhor brinde inaugural.

Lima - Pisco sour
Além de dois clássicos peruanos, o pisco sour…

Lima - drinque algarrobina
… e o drinque de algarrobina, a carta traz várias criações do barman, também nascido no país andino.

Lima - drinque digestivo

Este aí, batizado de Capitán, que serve de aperitivo e de digestivo, feito com Martini Rosso, Pisco e Angostura, é um deles. Delícia.

LIma - Pisco Rio

Outro, também preparado com Pisco, e Blue Curaçao, foi feito em homenagem ao Rio, um mar azul com sol e tudo.

Lima - El periodista

Quebrando a cronologia dos fatos, no final da noite, o barman serviu este drinque para mim, feito com pimenta, gengibre e pisco, y otras cositas más, criado, segundo ele, em minha homenagem, ao escutar minhas repetidas frases de louvor à pimenta Sem modéstia ou hesitação, batizei de “El periodista” a receita, que obviamente não está na carta (por enquanto). Gracias. Muy rico!
Ainda que os drinques sejam mesmo muito bons, não existe restaurante que se sustente apenas com a bebida. E ali, realmente, é a comida a grande estrela, pegando carona no interesse crescente de todo o mundo pela cozinha peruana. O cardápio, pode-se dizer, é clássico. Mas clássico, veja bem, seguindo a escola mais moderna do país, cheia de referências importadas de outras culturas gastronômicas. A cozinha peruana atualmente é uma grande interseção de influências e sabores. Os ingredientes andinos, os pescados do Pacífico e uma grandioso oferta de ingredientes locais se misturam a técnicas e matérias-primas do Japão, China e Índia, da Espanha e da Itália, do Oriente Médio, criando um repertório de receitas bastante original.

Lima - tiradito

Começamos com os tiraditos, uma espécie de carpacio rústico de carne, temperado alegremente com rúcula, abacate, grana padana e alcaparras, além de um molho rico com anchovas, e uma batatinha palha dando uma textura crocante por cima. Havia um toque de azeite de trufas, que –  se não chega a comprometer o resultado – é totalmente dispensável a meu ver. Começamos bem, muito bem. Fui garfando bastante feliz.

Lima - causa
Em seguida, outra receita clássica peruana, as causas, neste caso, de polvo, com tentáculos cortados finamente, e uma massa de batata, servindo de base, muito gostosa. Se deixassem isso na minha frente, ficaria comendo sem parar.

Lima - ceviche
Os pratos, como costumam a ser na culinária peruana, são bonitos, valorizados por uma louça trazida do país. Como este, que acomoda o ceviche, próxima etapa do jantar. Carne de dourado cortada em cubos de tamanho generoso, temperada com leche de tigre, cebola roxa fatiada. Ao lado, para dar um croc croc, um potinho daquele milho frito, que parece uma pipoca inibida que resolveu estourar para dentro, sem arrebentar a casca o melhor que já comi até hoje. Aprovadíssimo o ceviche, preparado por um jovem peruano, de apenas 19 anos, que desde os dias trabalha na cozinha.
“No Taipá, em Brasília, ele tirava 300 ceviches por noite. É um talento”, exalta o chef, que é seu chefe.

Lima - Lomo saltado

Hora das carnes. Primeiro, clássico dos clássicos, lomo saltado, um filé macio, salteado no shoyo com cebolas, ovinhos de codorna fritos e batatas rústicas, com temperinhos como coentro.

Lima - cordeiro

Estava tudo muito bom, tudo muito bem, até aqui. Mas, contrariando as expectativas, o melhor estava guardado para o final. O cordeiro assado lentamente, servido sobre mandioca imersa em molho cremoso de queijo, com o caldo do próprio cozimento, ervilhas e coentro, estava de comer rezando. Um espetáculo.

LIma - costelinha

Melhor ainda, acredite, estavam as costelinhas de porco, também assadas lentamente, envolvidas por um molho defumado por sobre um purê de grão-de-bico, primo mais ácido e temperado do árabe hommus. Uma batata crocante dava um contraste de textura. Foi, sem dúvida, um momento feliz. Fácil como adulto roubando doce de criança, a carne, que se desgarrava do osso sem qualquer dificuldade, estava deliciosa. Fecho com chave de ouro, cravejada de brilhantes, para o percurso salgado.

Lima - Petit gateau

Para encerrar, um petit gateau de frutas vermelhas…

Lima - Petit fours

… e um pratinho de petit fours vistosos e saborosos, para acompanhar o café. Repara na flor de caramelo.

Resumo da ópera. Fui com os donos, o salão estava vazio, e a cozinha se dedicou exclusivamente a nós. Feita a ressalva, foi um jantar realmente maravilhoso, coroado com dois pratos que me conquistaram. Realmente achei tudo muito bom. E acredito que esta é uma ótima novidade, que no final deste ano será celebrada com uma das melhores da tempoarada, num período que teremos muitas e muitas coisas acontecendo na gastronomia carioca e brasileira. Também penso que a chegada do chef Marco Spinoza e sua trupe  à cidade, se dividindo entre o Rio e Brasília, vai trazer grandes e felizes consequências à cena gastronômica carioca.  Curti de montão.

Índice de posts de bares e restaurantes na cidade do Rio de Janeiro: clique aqui.

Anúncios

10 Respostas to “Lima Restobar: abre as portas hoje, em Botafogo, um promissor restaurante peruano”

  1. Ro Says:

    Adorei também! Obrigada bj

  2. Oscar Daudt Says:

    Que bela dica. Vou lá conferir…Abs

  3. Thaís Atayde Says:

    Acabamos de voltar de lá. Estava tudo muito bom: bebidas, pratos e serviço.

  4. Patricia Says:

    Não deixem de conhecer o Lima! Um lugar aconchegante, elegante e inovador em “comes e bebes”. Fica aqui a dica 🙂

  5. Othoniel Góes Says:

    Só de ler, já estou com água na boca. Carla, estaremos aí brevemente. Meus parabéns e muito sucesso, Vocês e o Rio merecem!

  6. Tatiana Says:

    Quero experimentar! Parece incrível!

  7. Renan Oliveira Says:

    Gostei muito do Astrid Y Gaston em Lima, mas nem tanto de Buai. Conversei com um chef de uma brasserie de lá, que me disse que há uma certa dificuldade dos ingredientes chegarem (leia-se a variedade do Pacífico) nas demais filiais (excluo o Chile dessa). Mas tomara que o Lima siga a qualidade Peruana! Só falta vir agora o La Mar aqui pro Rio!

  8. Fernando Knust Says:

    O restaurante é muito bonito, a comida é muito boa, mas… O serviço não foi tão bom. Tivemos que chamar o garçom inumeras vezes pra tudo, não deram sugestoes é mostratam-se indiferentes com os clientes. Overall, o restaurante é bom e vale a pena conferir!

  9. van Says:

    maravilhoso!

  10. Eliane Says:

    Estive ontem almoçando com amigas e gostei muito do atendimento, da apresentação do prato, do paladar da comida. Recomendo. Vale a pena conferir!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: